Santo Antônio das Missões e São Nicolau estão com altos índices de infestação do aedes aegypti - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
12 de dezembro de 2018
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Santo Antônio das Missões e São Nicolau estão com altos índices de infestação do aedes aegypti

Membro da 12ª CRS em entrevista à Rádio Missioneira alertou para o alto índice de infestação em alguns municípios da região (Foto: Rogerio Morais/Rádio Missioneira)
12 de dezembro de 2018 l 14:50
Materia atualizada: 12/12/2018 l 16:00

Membro da Coordenadoria Regional de Saúde alerta para o risco de epidemia de doenças transmitidas pelo mosquito em algumas cidades da região





Compartilhe!
  • 346
    Shares

A região das Missões apresenta índices elevados de infestação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, febre chikungunya e zica vírus, o alerta é do coordenador das ações de campo da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde Elson Pedro Rezende da Silva.

Em entrevista nesta manhã ao programa Cidade Alerta da Rádio Missioneira Elson afirmou que o ultimo Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypt (LIRA) realizado em outubro e Novembro traz números preocupantes para a nossa região.

Santo Antônio das Missões com 6,8% e São Nicolau com 6,6% são os que apresentam maior índice e são considerados de alto risco de transmissão de das doenças relacionadas ao mosquito.  Garruchos e São Borja também apresentam situação de alto risco com índice de 4,3% e 5% respectivamente, fato que se agrava por serem municípios de fronteira e ser registrado na Argentina casos de epidemia de dengue. Outro município de fronteira que integra a 12ª CRS é Porto Xavier. No entanto, a localidade apresenta situação de baixo risco de epidemia com 0,4% de infestação. São Luiz Gonzaga também apresenta baixo risco com 1% de infestação.

São Miguel das Missões está em estado de alerta com um percentual de 3,4% e a coordenadoria se preocupa bastante com o município, pois é destino turístico e recebe visitantes de vários pontos do país e do exterior.

O coordenador afirma que não só a nossa região, mas todo o estado do Rio Grande do Sul está em alerta, pois o período é o mais favorável à reprodução do mosquito, a chuva associada ao calor eleva significativamente o nascimento do Aedes. Elson projeta que se não houver um trabalho em conjunto e uma vigilância em relação aos fatores que beneficiam a multiplicação dos mosquitos, o próximo levantamento poderá apresentar números ainda maiores. A própria secretaria estadual de saúde projeta que teremos surto ou epidemia de febre chikungunya no RS.

Diante deste quadro a coordenadoria vai intensificar até o final do verão ações estratégicas de controle, pois além dos fatores climáticos favoráveis ao Aedes, há ainda a preocupação com o período de férias que intensifica o trânsito de pessoas a locais que há circulação de vírus.

O Ministério da saúde indica que até 01% o risco é baixo, até 3,9% é situação de alerta e acima disto é considerado alto o risco de contaminação viral pelo mosquito.

Confira abaixo o resultado do levantamento realizado nos municípios integrantes da 12ª CRS, 8772 imóveis forma vistoriados nos meses de outubro e novembro.

Bossoroca 2,6%, Caibaté 1,2%, Cerro Largo 1,4%, Dezesseis de Novembro 2,1%, Entre-Ijuís 0,4%, Eugênio de Castro 0,4%, Garruchos 4,3%, Guarani das Missões 1,8%, Mato Queimado 0,0%, Pirapó 1,1%, Porto Xavier 0,4%, Rolador 1,1%, Roque Gonzales 1,3%, Salvador das Missões 3,8%, Santo Ângelo 1,9%, Santo Antônio das Missões 6,8%, São Borja 5,0%, São Luiz Gonzaga 1,0%, São Miguel das Missões 3,4%, São Nicolau 6,6%, São Pedro do Butiá 1,5%, Sete de Setembro 0,6%, Ubiretama 0,3% Vitória das Missões 0,0%.  

 

Por Rogerio Morais

Fonte: Rádio Missioneira


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados