Coordenadoria Regional de Saúde alerta para o risco de circulação de vírus de doenças relacionadas ao Aedes - Rádio MissioneiraRádio Missioneira
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
8 de dezembro de 2018
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Coordenadoria Regional de Saúde alerta para o risco de circulação de vírus de doenças relacionadas ao Aedes

O alerta é para cuidados em relação ao período de maior risco de circulação de vírus de doenças que o mosquito é transmissor (Foto: Reprodução/CRS)
8 de dezembro de 2018 l 13:46
Materia atualizada: 10/12/2018 l 09:15

Período de férias de verão tem maios circulação de pessoas entre as regiões





Compartilhe!

Com a proximidade do período de férias e a o deslocamento de pessoas por locais distantes aumentam as possibilidades de circulação de doenças. A Coordenadoria Regional de Saúde (12ª CRS) alerta para os riscos relacionados ao mosquito aedes aegypti.

Nesta semana Yuri Sommer responsável pela CRS falou à Rádio Missioneira ele registrou que em Porto Alegre, durante reunião das regionais foi destacada a situação de Santa Catarina que altos índices de infestação, o estado é um dos destinos mais procurados por turistas de todo o país e dos países vizinhos. A recomendação é que os veranistas utilizem repelentes, sob o risco de em caso de circulação de vírus contraírem doenças como dengue, febre chikungunya e zica vírus.

Enquanto aqui na região segue a vigilância e o os trabalhos de prevenção, o coordenador afirma que após o ultimo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) nos 24 municípios da área de abrangência, quatro apresentam situação de alto risco com índice que varia entre 04% a 6,8%, 10 apresentam situação de alerta com variação entre 01% a 1,9% e 10 apresentam baixo risco com índices inferiores a 01%. São Luiz Gonzaga é um dos 10 que apresenta baixo risco.

Na média, em comparação com outras regionais, a 12ª está entre as que registram um controle maior em relação ao mosquito, no entanto Sommer lembra que pela proximidade da fronteira é necessário o cuidado intenso em relação a circulação de vírus pois a Argentina não possuiu uma vigilância intensa registrada no Brasil.

Por Rogério Morais

Fonte: Rádio Missioneira


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados