Moradores do bairro Presidente Vargas pediram afastamento imediato da médica que atende no ESF

Compartilhe!

Moradores do bairro Presidente Vargas estão insatisfeitos com o trabalho da médica que começou a trabalhar no ESF do local, em substituição à cubana que deixou o país. Em audiência na localidade aberta à comunidade, foi pedido ao secretário municipal de saúde, Valmir Silveira, que ela fosse afastada do serviço.

O encontro foi promovido pela vereadora Ana Barros (PT). Em entrevista ao programa Jornal da Manhã, ela explicou que a audiência foi o último recurso, já que o pedido havia sido feito à equipe de saúde e ao secretário e que as reclamações não cessavam. Ela não deu detalhes de qual foi o problema com a profissional, mas destacou que ao menos todos os cerca de 70 moradores do bairro presentes na reunião pediram o afastamento imediato da médica. Barros considera a situação como grave. “Nenhuma das pessoas defendeu a permanência dela”, citou a vereadora.

Também entrevistado pela Rádio Missioneira, Silveira afirmou que por se tratar do Mais Médicos, a coordenação do programa é quem deve tomar as providências. Ele destacou que a situação foi informada. O secretário destacou que ouviu todas as demandas apresentadas pelos moradores do bairro. Valmir resumiu que “todas as pessoas erram”, e que o local não pode ficar sem profissional.

A reportagem da Missioneira fez contato com a médica, que pediu para retornar a ligação nesta quinta-feira (24) pela manhã. 

Fonte: Rádio Missioneira