Teatro Municipal de Santo Ângelo será revitalizado

Compartilhe!

Teatro Antônio Sepp é o maior das Missões e desempenha papel cultural de relevância para a região

O projeto de revitalização do Teatro Municipal Antônio Sepp, de Santo Ângelo, foi lançado oficialmente na manhã desta quarta-feira (15) ,durante café realizado na Associação Comercial e Industrial de Santo Ângelo. A Impacto Desenvolvimento Cultural apresentou detalhes da obra e da forma de captação de recursos para concretizá-la. A revitalização está estimada em cerca de R$ 5 milhões. O prefeito Jacques Barbosa ressaltou que não se trata de um projeto de governo, mas que pertence a toda a comunidade santo-angelense regional.

“Esse projeto foi construído com ideias e sugestões dos membros do Conselho Municipal de Cultura e de outras pessoas do setor para que atenda a necessidades. O prédio encontra-se com muitos problemas estruturais e dificuldades para atender as exigências do Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndios (PPCI), naturais para um espaço com mais de 30 anos”, destacou Jacques.

Segundo o prefeito, o Teatro Municipal não possui apenas relevância cultural, mas é importante, também, do ponto de vista econômico. “Eventos promovidos no local, como o Santo Ângelo em Dança, o Festival Internacional de Teatro e o Canto Missioneiro, entre outros, lotam hotéis e provocam grande movimento no setor gastronômico, gerando renda”.

APROVAÇÃO POR UNANIMIDADE

O produtor cultural Francisco Roloff, da Impacto, apresentou os detalhes do projeto e da forma de captação dos recursos. Conforme ele, o projeto foi trabalhado por três anos e a forma minuciosa como foi elaborado, somado ao engajamento da comunidade por meio do Conselho Municipal de Cultura, foi decisiva para a aprovação por unanimidade pelos membros do Conselho Estadual de Cultura, o que não ocorria há quatro anos com as propostas apresentadas.

Roloff valorizou ainda a participação da ex-secretária municipal de Cultura, Neusa Cavalheiro, e do prefeito Jacques Barbosa na construção da proposta. Também ressaltou a disponibilidade da empresa Stiler Engenharia, parceira para a realização da obra. “A primeira etapa do projeto, com valor de R$ 1,1 milhão e nós somente iremos iniciá-la com a captação dos recursos necessários. Esse é um compromisso assumido para que não se comece e se interrompa um trabalho”.

O produtor cultural estima um prazo de três anos para a captação dos R$ 5 milhões necessários e acentuou que trata-se da maior obra cultural do Rio Grande do Sul neste ano. “Será um dos maiores e melhores teatro do Rio Grande do Sul, com estrutura invejável e autossustentável, com captação de água e geração de energia fotovoltaica”.

 

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Os recursos serão captados por meio da Lei de Incentivo à Cultura (LIC/RS), por meio do repasse do ICMS e contrapartida de 5% das empresas, que vão para o Fundo de Apoio à Cultura (FAC).

Roloff informou ainda que a doação pode ser feita em dez parcelas e os recursos são depositados numa conta do Banrisul aberta especificamente para isso. “Tudo é feito da forma mais transparente possível”.

Ele ainda reforçou que cada empresa pode ser parceira na captação. “Tem empresas de segmentos que não pagam ICMS, mas elas compram de outras empresas e podem trabalhar junto aos seus fornecedores as doações”.

O presidente da Acisa, Felipe Fontana, que o projeto é mais uma oportunidade para que o empresariado local unido faça história. “Todos podem colaborar, doando ou auxiliando na captação”, definiu.

Fonte: Hogue Dorneles | Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Santo Ângelo