Superintendência Regional do Daer em Santiago será fechada

Compartilhe!

Os planos do Governo do Estado para a reestruturação e modernização do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) foram detalhados na manhã desta quinta-feira (11). Em coletiva por videoconferência, o secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, e o diretor-geral do órgão, Luciano Faustino, apresentaram as ações que serão realizadas este ano, entre elas a de efetuar o fechamento de seis Superintendências Regionais (SR) do Daer, incluindo a de Santiago e Cruz Alta.

Outra medida é a disponibilização dos imóveis das 17 Superintendências em permutas para investimentos em projetos do Estado. Somados, os prédios têm valor estimado em mais de R$ 200 milhões, que podem ser revertidos em obras de pavimentação por meio de parcerias com empresas e outras instituições.

“Seria o suficiente para pavimentarmos cerca de vinte acessos municipais que, há décadas, aguardam sua conclusão”, ilustra Costella. “O Daer realizará o levantamento patrimonial, mas os imóveis seguramente valem, hoje, entre R$ 10 milhões e R$ 40 milhões e viabilizariam uma série de ações para a qualificação de nossas estradas”, completa o secretário.

A proposta está relacionada a outra medida anunciada durante a coletiva: a reorganização das regionais do Daer distribuídas pelo Estado. Seis delas serão fechadas e terão os servidores e as atividades absorvidos por unidades próximas: a 12ª SR de Santiago passa a ser subordinada à 9ª SR de Alegrete e a 5ª SR de Cruz Alta será incorporada à 14ª SR de Santa Rosa. As outras Superintendências fechadas são as de Esteio, Cachoeira do Sul, Erechim e São Francisco de Paula. As demais deverão ser readequadas em escritórios menores.

 “Se somarmos a economia em água, luz, telefone, gratificações e diárias, conseguiremos reduzir os gastos aos cofres do Estado em R$ 1,15 milhão ao ano”, afirma Costella. “É uma determinação do governador Eduardo Leite que consigamos fortalecer o Daer, com uma estrutura enxuta e eficiente, que possa dar celeridade às demandas da população”, ressalta.

O diretor-geral do departamento aponta que a reestruturação da autarquia é necessária e vai ao encontro das atuais atribuições do órgão. “Hoje, o Daer é um gestor de contratos terceirizados e atua dessa forma em 90% das obras em rodovias que administra”, afirma Luciano Faustino. “Setores estratégicos, como estudos e projetos, serão reestruturados para garantir um tempo menor de análise e aprovação.”

Os servidores das superintendências em processo de fechamento terão a situação avaliada individualmente. Eles poderão optar pela aposentadoria ou a relotação em outra regional. A reestruturação do Daer deve ser oficializada em decreto estadual até março.

Fonte: Governo do Estado