Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador irá lançar o “Projeto Custo Zero”

Compartilhe!

Entidade realizará gratuitamente projetos de custeio e de investimento para agricultores familiares

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador, Giovane Hoff e o secretário-geral do sindicato Rafael Dalenogare, concederam entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9 nesta quarta-feira (23), onde trouxeram detalhes do programa Projeto Custo Zero que será oferecido pela entidade.  

Giovane Hoff e Rafael Dalenogare informaram que, durante reunião nesta semana, foi decidido que o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador irá implantar o programa visando cumprir ainda mais com o papel social da entidade.

Tanto para projetos de custeio, quanto de investimento, o sindicato não irá cobrar para realizá-los, podendo o agricultor fazer com o profissional de sua confiança, não havendo nenhum custo. “Se o produtor chegar com todos os documentos em dia, na hora aos técnicos do sindicato poderão fazer o projeto com agilidade e sem cobrar nada”, salientou Rafael. Adesões ao projeto poderão ser feitas a partir do dia 1º de julho.

Giovane informa que a novidade é um reflexo da boa participação do quadro social, que teve aumento dos associados mesmo em tempos de pandemia, possibilitando que mais recursos retornem aos agricultores familiares.

PLANO SAFRA

As lideranças sindicais comentaram também o anúncio do Plano Safra 2021/2022, no que tange o interessa da agricultura familiar. No total, foram anunciados R$ 251,2 bilhões para custeio e investimento no setor agropecuário brasileiro, o que representa 7% de aumento em relação ao ano passado. As taxas de juros foram elevadas. Para a agricultura familiar, as taxas de juros foram elevadas e irão variar entre 3% até 4,5%.

O valor destinado a agricultura familiar via Pronaf será de R$ 39,3 bilhões, aumentou de 19% em relação ao ano passado, sendo que para investimento o valor é de R$17 bilhões. O governo anunciou também o aumento no limite da renda bruta para enquadramento no Pronaf, que será de R$ 500 mil.

Segundo Giovane Hoff, os recursos destinados à agricultura familiar só foram possíveis graças a luta da Fetag/RS para que não houvessem cortes no repasse. O líder sindical elogiou também a ministra Tereza Cristina que cumpriu com o compromisso firmado em auxiliar os pequenos agricultores.

“Entendemos que o aumento não é algo tão significante, comparado ao cenário atual, mas está de bom tamanho”, considerou Hoff.

Rafael Dalenogare salientou, também, que a Semana D de Mobilização foi fundamental nesse processo. Ele avalia que os números do Plano Safra são interessantes, embora os custos de produção aumentaram.

“Daqui a pouco, os valores podem ser até insuficientes, mas não podemos dizer que o plano não foi bom”, considerou.

Rádio Missioneira