PT recebeu convite informal para compor coligação com a situação

Compartilhe!

A coligação que hoje administra o município de São Luiz Gonzaga e que sustenta o projeto de reeleição do prefeito Sidney Brondani, com o vereador Piti Werle como vice, parece estar ganhando mais força à medida que as articulações avançam. Após as notícias de que o PDT estaria encaminhando um acerto, o PT também surgiu como outro possível integrante desta frente.

O apoio destes dois partidos levaria a um consenso histórico no município de São Luiz Gonzaga, deixando, assim, a disputa eleitoral apenas no âmbito da vereança. No entanto, ainda não há acordos fechados. Em participação no programa Jornal da Manhã desta quarta-feira (5) a vereadora Ana Barros (PT) falou sobre a possibilidade de o Partido dos Trabalhadores ingressar neste grupo.

Sobre a origem desta ideia, Ana informou que o primeiro contato surgiu de um convite informal, por parte do MDB e de segmentos do PP. O assunto foi levado para o diretório do partido e está em análise. Destacando sua opinião particular sobre essa situação, Ana considera que, em um primeiro momento, deve se observar o plano de governo. Para a vereadora, é notório que há pontos divergentes na forma de pensamento entre a esquerda e a situação e todas essas diferenças devem ser consideradas antes da decisão.

Como vereadora, Ana sabe que uma boa relação com a administração é salutar para o Município e, ao longo de seu mandato, fez todo o possível para manter esse diálogo, divergindo apenas quando necessário. Citou ainda como resultado de seu trabalho a obtenção de R$ 2,2 milhões em emendas do deputado Pimenta, com R$ 1 milhão para o Hospital São Luiz Gonzaga. Também liderou, no Legislativo de São Luiz e região, campanhas para trazer alívio financeiro para o HSLG neste momento de pandemia. Também citou verbas dos deputados Marcon (R$ 100 mil), Maria do Rosário (R$ 100 mil) e maquinário agrícola para o interior, isso sem falar de todas as ações na comunidade, na cidade e no interior.

É fato que, em muitas demandas durante esses quase quatro anos, ocorreram muitas divergências. A vereadora também acredita ser difícil elaborar um projeto de governo que agrade a todos, até pelo tempo que resta até as eleições ser bastante curto, mas ressaltou que o diálogo vai ocorrer.

Rádio Missioneira