Presença da variante P1 do coronavírus em São Luiz Gonzaga causa preocupação

Compartilhe!

Nova cepa é considerada mais contagiosa e causou surtos em São Borja e Porto Xavier

A confirmação da presença da variante P1 do coronavírus em uma paciente diagnosticada com covid-19 em São Luiz Gonzaga causou preocupação nos profissionais de saúde do município. Em entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9 nesta segunda-feira (17), o diretor técnico do Hospital São Luiz Gonzaga, médico José Renato Grisolia, confirmou que a nova variante foi identificada em uma amostra coletada de uma moradora do Lar do Idoso São Vicente de Paula.

Conforme o médico, desde o princípio do surto se suspeitou que a linhagem brasileira do vírus poderia estar em circulação em São Luiz Gonzaga, já que município próximos, como São Borja e Porto Xavier, já haviam relatado a presença da P1 em seus territórios.

“Essa nova variante causa preocupação, pois por onde ela passa, eleva vertiginosamente o número de casos e consequentemente, o de óbitos”, afirma.

Segundo José Renato, a nova variante possui como característica não respeitar a imunização daqueles que já aplicaram doses das vacinas, mas salienta que as experiências estão mostrando que a vacina é eficaz e reduz significativamente os efeitos da doença no organismo. A P1, segundo o médico, é mais contagiosa que a cepa selvagem (original) do coronavírus.

O médico informa que estudos tem indicado que as máscaras de pano e cirúrgica não possuem efetividade na proteção contra a nova cepa. Segundo ele, um dos agravantes das novas linhagens é as consequências posteriores à infecção, já que a imunidade dos pacientes acaba se fragilizando.

O exame de genotipagem que confirmou a presença da nova variante em São Luiz Gonzaga foi realizado em um laboratório privado, visto que os procedimentos realizados pela Fiocruz demoram mais tempo. O teste foi pago com recursos da Secretaria Municipal de Saúde.

José Renato alerta a comunidade, baseado nas situações observadas nos municípios que já tiveram experiências com a nova cepa e salienta que a situação em andamento em Santo Ângelo e Porto Xavier é “assustadora” e que deve ser analisada como um alerta para São Luiz Gonzaga.

A presença da cepa indiana na Argentina também causa preocupação, visto que o Rio Grande do Sul possui fortes laços econômicos com a nação vizinha e o fluxo de caminhoneiros neste trecho é alto. Segundo José Renato, a variante B1.617 está instalando o caos na Índia, com aumento considerável de casos e mortes, além de provocar o colapso total do sistema de saúde indiano.

Rádio Missioneira