Prefeito e vice de Capão do Cipó são cassados pela Justiça

Compartilhe!

Froner e Cardoso são investigados por arrecadação e gastos ilícitos de recursos. A decisão é de primeira instância

O Ministério Público de Santiago entrou com uma representação contra o prefeito e o vice-prefeito do município de Capão do Cipó, com base no artigo 30 A da Lei Eleitoral. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (15) por Gidião Damian, responsável pelo Cartório da 44ª Zona Eleitoral de Santiago, que abrange também os municípios de Capão do Cipó, Itacurubi e Unistalda. A decisão é de primeira instância e tem aplicação imediata.

Conforme Gidião, o prefeito Osvaldo Froner (Progressistas) e o vice-prefeito Anselmo Cardoso (PDT) estão sendo investigados por arrecadação e gastos ilícitos de recursos durante a campanha eleitoral de 2020, com algumas denúncias de compra de votos em troca de benefícios financeiros para eleitores.

O caso será enviado, agora, ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Porto Alegre. A Administração Municipal já informou que entrará com recurso contra a acusação. Após recebimento da defesa, o TRE terá um prazo de dois meses para avaliar a situação. Enquanto isso, Froner e Cardoso permanecem a frente da Prefeitura de Capão do Cipó.

Caso o TRE confirme decisão da juíza Ana Paula Michel Santos, em 60 dias deverá ocorrer uma nova eleição. Neste caso, o presidente da Câmara de Vereadores assume a Prefeitura Municipal.

Rádio Missioneira