Ponte internacional, curso de medicina na região, e situação dos hospitais foram temas na reunião da AMM

No início do próximo mês de junho, com uma possível data entre os dias 6 e 9, deve ocorrer uma mobilização, em Porto Xavier, com a participação da bancada gaúcha no Congresso Nacional, em defesa da construção da ponte internacional na região das Missões. A decisão foi tomada nesta sexta-feira, dia 23 de maio, durante a reunião mensal da Associação dos Municípios das Missões (AMM), que aconteceu em Guarani das Missões. No movimento, que deve reunir lideranças municipais, regionais e estaduais, estão previstos debates e divulgação de dados que mostram que a região possui as condições ideais para que o empreendimento seja viabilizado em Porto Xavier/San Javier, com o projeto sendo incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC3), do governo federal, garantindo assim, os recursos necessários para que a construção da ponte seja em curto prazo.

De acordo com o prefeito de Porto Xavier e vice-presidente da AMM, Paulo Sommer, para que a ação se consolide é preciso avançar no planejamento e definir estratégias mais arrojadas. "Até agora não temos nenhum parecer sobre os estudos de viabilidade, previsto, primeiro, para ser liberado em outubro passado, e depois para o último dia 02 de maio. O que nos disseram em Brasília é que nos dias 10 e 11 de junho acontecerá outra videoconferência sobre o tema, desta vez, em Foz do Iguaçu", relatou ele. Os prefeitos também foram informados que o resultado do levantamento técnico e econômico ainda não foi anunciado por questões burocráticas envolvendo a empresa que fez a análise da parte argentina do projeto.

Curso de medicina nas Missões

Outra questão discutida na reunião foi a perspectiva da implantação do curso de medicina na região. Atendendo pedido de lideranças missioneiras a AMM decidiu que vai apoiar e trabalhar para que o pleito seja consolidado. Ficou acertado que os prefeitos vão indicar, como possíveis locais de instalação da faculdade de medicina, três municípios: Giruá, Santo Ângelo e São Luiz Gonzaga, até porque possuem hospitais de médio e grande porte, que são fundamentais para o desenvolvimento do curso. "Esta é um reivindicação de grande relevância para a população das Missões. Vamos somar esforços para que a região seja contemplada com a iniciativa", enfatizou o presidente da Associação, prefeito Junaro Figueiredo.

Hospitais de pequeno porte

Sobre as cirurgias realizadas nos hospitais de pequeno porte na região, o prefeito Paulo Sommer, médico cirurgião, fez um relato aos participantes da assembleia sobre o resultado da reunião da AMM com a 12ª Coordenadoria Regional de Saúde (12ªCRS), que aconteceu no dia 09 de maio, em São Luiz Gonzaga. Na sua avaliação, a situação é grave e preocupante, apesar dos esclarecimentos da 12ª CRS. O prefeito deixou claro o recado de que a região precisa entender que os municípios que aderirem à medida correm o risco de prejudicar a população. “Em curto prazo vamos perceber que se tornará quase inviável transportar pacientes que necessitam de intervenções cirúrgicas para outros hospitais", alertou Sommer.

Participaram do encontro, organizado com maestria pela prefeita Janete Dauek e equipe, prefeitos, vices, secretários municipais, vereadores, primeiras-damas, deputados estaduais e federais, representantes do governo do Estado, Corede Missões, imprensa e comunidade em geral, que prestigiaram a abertura oficial da 12ª Polfest. A próxima assembleia mensal da AMM será no dia 27 de junho, em Roque Gonzales.