Polícia Ambiental recolheu 7 mil metros de redes durante a piracema em rios da região

Compartilhe!

O período de piracema, iniciado em 1º de outubro do ano passado, encerra-se no próximo domingo (31). Para falar sobre a atuação da Polícia Ambiental na coibição da pesca predatória durante esta época o comandante do 2º Pelotão de Polícia Ambiental de São Luiz Gonzaga, tenente Paulo Cesar Amaral Monteiro, participou do programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9 nesta sexta-feira (29).

O 2º Pelotão Ambiental atua no combate a crimes ambientais em 16 municípios missioneiros e outros quatro da fronteira oeste. A patrulha no Rio Uruguai compreende uma área que vai desde o município de Porto Lucena até Itaqui. Além da fiscalização da pesca predatória, o órgão atua no controle do desmatamento, depósitos irregulares de embalagens de agrotóxicos, maus tratos à animais e captação irregular de água para irrigação.

No período de piracema, destaca o tenente Monteiro, foram muitas as denúncias de irregularidades. Ele afirma que em quatro meses foram retirados cerca de sete mil metros de redes de pesca nos rios Uruguai, Piratini, Ijuí e Icamaquã. O comandante destaca que no período de piracema o pescador pode capturar até cinco quilos de pescado, utilizando apenas uma linha de mão. Redes, espinheis, molinetes e carretilhas são proibidos.

O tenente Monteiro ressalta que mesmo com o fim do período de piracema, existem três espécies que jamais podem ser capturadas, pois estão na lista de extinção: Dourado, Surubi e Piracanjuba. O pescador que foi abordado com qualquer uma destas três espécies será multado em até 5 mil reais e será punido nas esferas civil e criminal.

Leia mais: Brigada Militar prende homem com peixe “Surubi” de 24 quilos em Roque Gonzales

O pescador profissional é considerado aquele trabalhador que sobrevive da atividade pesqueira. Para estes, o uso de redes e demais utensílios, fora do período de piracema, são permitidos. Já para o pescador amador a legislação permite apenas a utilização de linhas de mãos, carretilhas e espinheis.

A Polícia Ambiental de São Luiz Gonzaga recebe denúncias através do número (55) 3352-6616.

Rádio Missioneira