Pirapó realiza barreiras sanitárias para evitar o avanço da covid-19 e chikungunya

Compartilhe!

O município de Pirapó está realizando nesta semana barreiras sanitárias nos dois acessos à cidade a fim de orientar a população sobre a covid-19 e também alertar sobre os riscos e cuidados que os moradores devem ter para evitar um surto de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como dengue e chikungunya.

Pirapó já registra 10 óbitos por covid-19 desde o início da pandemia. Proporcionalmente, o número é um dos mais altos da microrregião. Conforme a secretaria de Saúde Carmine Dillemburg, em entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9 nesta terça-feira (13) o município possui ainda 24 casos ativos, 6 pessoas internadas e 36 em monitoramento. Ao todo, 140 moradores já se recuperaram da doença.

Além da covid-19, Pirapó passou a contar com um novo problema. As recentes confirmações de febre chikungunya e dengue na cidade vizinha de São Nicolau deixou a comunidade pirapoense em alerta. Agentes de endemias já estão atuando na cidade para eliminar possíveis focos de criação do mosquito Aedes aegypti e evitar contaminações. A secretária Carmine solicita que a população utilize repelente e realize mutirões de limpeza em suas residências.

Sobre a vacinação da covid-19, Carmine informa que Pirapó já aplicou 600 doses de imunizantes em idosos acima de 60 anos, trabalhadores da saúde e profissionais das forças de segurança. Os munícipes que sentirem sintomas, tanto de covid-19 como de dengue ou chikungunya, poderão entrar em contato com o número (55) 3351-1011.

Rádio Missioneira