“O viés ideológico acabou”, diz Heinze sobre ações do novo governo na agricultura, meio ambiente e reformas

Compartilhe!

“O viés ideológico acabou em Brasília”. A afirmação é do senador eleito Luiz Carlos Heinze, que toma posse nos próximos dias. Ele se refere às decisões do novo governo, em especial na área de agricultura e meio ambiente. Em entrevista ao programa Jornal da Manhã de hoje, o progressista aliado de Bolsonaro falou sobre vários temas relacionados à agricultura gaúcha e da região.

Heinze citou um caso que envolve produtores de São Luiz Gonzaga sobre o prejuízo do chamado viés ideológico. Agricultores reclamaram de um problema no porto de Rio Grande, onde é levada a produção da região. Segundo eles, a questão envolvia uma dragagem no porto há sete anos. O senador explicou que o Ibama tratava a solução do problema. No novo governo, com decisão do governo, a questão foi resolvida em poucos dias. “Acabou o viés ideológico. Tem que ser pragmático, fazer o que tem que ser feito”, resumiu.  Ele destacou que esse é o novo lema em Brasília.

Recado foi dado a Eduardo Leite

Luis Carlos quer o mesmo no Rio Grande do Sul. O senador já conversou com o governador Eduardo Leite, para que tome trabalhe no mesmo sentido. “O recado foi dado”, destacou. O progressista destacou que o viés ideológico vale o mesmo para as decisões trabalhistas e reformas que estão sendo estudadas.

Em relação ao Funrural, afirmou que uma solução entre o Ministério da Fazenda e a Receita Federal está sendo estudada, mas não deu detalhes de como será. Os produtores esperam o perdão da dívida, prometida na campanha do presidente.

Mercosul

Sobre as relações comerciais com o Mercosul, Heinze informou que foram solicitadas providências à Bolsonaro. Ele avalia que as negociações estão inviáveis, especialmente com o trigo, um dos principais produtos do Rio Grande do Sul.

A ministra da agricultura, Tereza Cristina, estará no Rio Grande do Sul nesta semana. Ela irá para Uruguaiana, onde ouvirá demandas dos produtores. Luis Carlos citou que as chuvas prejudicaram a região, especialmente as estradas.

Ainda sobre infraestrutura, o gaúcho foi questionado sobre medidas para melhorar a situação da BR 285. Heinze, que visita São Borja com freqüência comentou que conhece o problema. Ele analisa que a operação tapa buracos não foi eficiente. Para resolver a situação, o senador defende maior fiscalização por parte do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), e que vai trabalhar o tema em Brasília.

Ouça a entrevista

Fonte: Rádio Missioneira