Rádio Online

Clique e confira

(55) 3352-4141

Fale conosco!

Rua Júlio de Castilhos 2236, Centro, São Luiz Gonzaga, RS

Novo técnico da Emater de São Luiz Gonzaga fala sobre desafios para 2019

Compartilhe!

Desde dezembro a Emater de São Luiz Gonzaga conta com um novo membro atuando no escritório local. O engenheiro agrônomo Edson Luiz Backes trabalhava em Santo Antonio das Missões e atuou em diversas atividades na área de extensão rural, projetos e perícias. Formado pela Universidade Federal de Santa Maria, Backes é extensionista de nível superior. Tem experiência em assistência técnica e extensão rural, projetos de irrigação, de custeio e investimento, serviços topográficos e georreferenciados.

Ele presta assistência técnica em culturas de verão e inverno, fruticultura e horticultura, pecuária leiteira, reflorestamento e atividades agropecuárias em geral. Em entrevista à Rádio Missioneira, Edson afirmou que a oportunidade atuar no município polo e referência regional em produção e organização renova o desafio numa trajetória de quase 10 anos como integrante do órgão de extensão rural.

Questionado sobre as expectativas para 2019, Backes considerou um ano de consolidação para a Emater a qual avalia como uma instituição estratégica para qualquer governo. “A produção agrícola é principal fonte de arrecadação dos municípios e do estado, e isso nos enche de responsabilidade, o nosso trabalho tem a missão de cada vez mais buscar que os produtores melhorem seus desempenhos e se consolidem na tarefa de produzir e gerar riquezas”, disse.

Sobre as ações de fortalecimento da sucessão rural, o agrônomo acredita que o jovem, apesar das grandes dificuldades, precisa ter razões para permanecer no campo. “É este é um desafio para todos da Emater” afirmou.

Ainda sobre o assunto, Edson recorda que o órgão desempenha mais de 38 eixos de ações e que vários destes estão diretamente relacionados ao tema da permanência no campo. O técnico citou a agroindustrialização, que considera um grande potencial da região. “Nossas propriedades praticamente estão vendendo suas matérias primas, por isso a necessidade de industrializar, beneficiar o produto e agregar mais valor e com isso, ter um atrativo para a permanência na atividade” pontuou.

Ele destacou também que a Emater trabalha com projetos de gerenciamento das propriedades. “Através da gestão dos recursos é possível ver a propriedade, seja ela pequena ou média, como uma empresa e melhorar os negócios ampliando os sonhos de pais e filhos”, projetou.

Apesar de destacar ações da Emater para o jovem o extensionista, Backes acredita que ainda faltam políticas públicas especificas para a parcela jovem que se encontra meio rural, também para aqueles que estão se preparando nos bancos escolares e se especializando para atuar na área da produção.

Autor: Rogério Morais

Fonte: Rádio Missioneira