Nossa Região entrou com pedido de reconsideração de bandeira vermelha

Este é o recurso que a nossa Região enviou:

A R11 pleitea a classificação na Bandeira Laranja baseada em dados e índices que apresenta nos anexos. Reconhece a piora no índice geral, devido ao impacto dos números macro e estadual. A R11 apresentou redução nos casos ativos, de 330 na S29 para 324 na S30. A redução/estabilização ocorreu com bandeira laranja, passando 15 dias da eleição, considerado um dos principais vetores de contato.

A macrorregião não tem segundo turno. Destaca-se ainda o peso regional, com pequeno incremento de 0,73 para 0,76, o que valida comportamento de redução dos casos ativos. Apresenta aumento de 3 leitos livres de UTI e redução de internados, de 20 para 14 (30%).

Nas hospitalizações, 46 registradas são próximas das anteriores e inferior a S28. São 260 leitos clínicos com disponibilidade no dia 28 de 73,5%. Para aumentar a conscientização, Santo Ângelo lança nesta terça uma campanha. Baseado nos argumentos e dados anexos, a R11 pleiteia a bandeira laranja.

O Gabinete de Crise vai analisar os pedidos e divulgar o mapa definitivo na tarde de segunda-feira (30/11). A vigência das novas bandeiras começa às 0h de terça-feira (1°/12) e se encerra às 23h59 de segunda-feira (7/12).

Das 21 regiões Covid, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não aderiram ao sistema de cogestão do Distanciamento Controlado. As outras 18 já adotam protocolos alternativos às bandeiras definidas pelo governo.

Conforme a orientação do modelo, regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados à Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (Saam). A adoção de protocolos alternativos não altera as cores do mapa definitivo.

Fonte: Rádio Missioneira