Lágrimas e aplausos: início da vacinação em São Luiz Gonzaga é marcado por emoção

Compartilhe!

Dia 20 de janeiro de 2021: uma data que deverá entrar para a história de São Luiz Gonzaga. Eram 13h53 quando as seis primeiras doses da vacina contra a covid-19 foram aplicadas em profissionais são-luizenses que desde meados de maio do ano passado lutam diariamente para evitar novas infecções e perdas de vida na pior pandemia dos últimos 100 anos.

No início do ato simbólico, realizado no auditório do Centro de Saúde, a coordenadora do local, enfermeira Águeda Balbé, agradeceu o empenho de todos os profissionais de saúde que estão esgotados, mas que seguem dedicando seus dias na árdua tarefa de tratar dos enfermos.

Logo após, a secretária municipal de saúde, Clari Ramborger, confirmou o 22º óbito causado pela doença em São Luiz Gonzaga. As vacinas, produzidas pelo Instituto Butantan, poderão evitar que novas notícias como esta sejam informadas. Ao longo de 10 meses de pandemia, 211 mil brasileiros morreram em consequência da doença. No mundo, já são mais de 2 milhões de mortos.

Emocionada, a interventora do Hospital São Luiz Gonzaga, Iria Diedrich, relembrou os momentos difíceis pelo qual a instituição tem passado. Agradeceu também a todos os colaboradores do hospital que tem realizado o possível para salvar vidas. Ao relatar a escassez de oxigênio que a intuição tem enfrentado, Iria não conseguiu segurar as lágrimas, assim como outros profissionais presentes.

Em uma breve fala, também visivelmente emocionado e com a voz embargada, o prefeito Sidney Brondani ressaltou a importância do ato e o significado que o dia de hoje representava. “Inúmeras vezes ficamos sem saber o que fazer, por não haver alternativas, mas hoje, temos esperança de que tudo isso irá acabar” afirmou o prefeito.

Simultaneamente, as seis doses da CoronaVac foram aplicadas nos médicos José Renato Grisólia, José Carlos Simões e Luis Grings; na técnica em enfermagem Jaqueline Nascimento de Miranda, na enfermeira Carina Pilecco e na funcionária do setor de higienização da ala covid-19 do Hospital São Luiz Gonzaga, Taise Camargo.

Sob fortes e calorosos aplausos, o pontapé inicial da primeira etapa de imunização contra a doença foi realizado em São Luiz Gonzaga. Todos os seis profissionais tiveram suas carteiras de vacinas preenchidas e, agora, aguardarão a segunda dose, que deverá chegar ao município dentro de 30 dias. Logo após o ato, todos os idosos do Lar São Vicente de Paula também foram imunizados, momento muito aguardado pela instituição.

“Hoje é o dia da esperança”, disse o médico Luis Grings, já vacinado. “É um dia histórico para São Luiz Gonzaga e tenho certeza que em alguns meses toda nossa população estará imunizada”, afirmou. Diretor clínico do Hospital São Luiz Gonzaga, Grings relata que presenciou momentos de extrema complexidade nesta pandemia. “Nunca pensei, que após 35 de carreira profissional, viria cenas como as que estamos enfrentando nessa pandemia” ressaltou. E reforça: “a covid-19 é traiçoeira, não subestimem uma doença que a humanidade ainda não conhece”.

Na manhã desta quinta-feira (21), o diretor do Hospital São Luiz Gonzaga, doutor José Renato Grisólia, concederá entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9.

Rádio Missioneira

This slideshow requires JavaScript.