Interventora do Hospital alerta: “vamos chegar no ponto de ver o que se paga primeiro” - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
28 de fevereiro de 2019
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Interventora do Hospital alerta: “vamos chegar no ponto de ver o que se paga primeiro”

Foto: Rádio Missioneira
28 de fevereiro de 2019 l 10:29
Materia atualizada: 28/02/2019 l 14:52




Compartilhe!
  • 664
    Shares

Buscando junto a todas as entidades possíveis a manutenção de suas contas, o Hospital São Luiz Gonzaga sofre com os atrasos nos repasses do Governo do Estado. Entrevistada pela reportagem da Rádio Missioneira nesta semana, a interventora Iria Diedrich pontuou as principais demandas da casa de saúde, bem como as fontes de esperança por recursos.

Atualizando primeiramente sobre os repasses estaduais, Iria disse que, atualmente, o Estado deve ao Hospital cerca de R$ 925 mil, de setembro de 2018 até fevereiro de 2019. Os valores desse ano (R$ 336 mil), ela disse que o Governo pretende financiar, enquanto, referente aos quatro meses de 2018 (R$ 588.800 mil), não se tem nenhuma definição – a situação está extremamente difícil, porque no ano passado tínhamos recurso de emendas parlamentares para custeio e neste ano não temos nenhuma indicação para custeio – ressaltou Iria.

Financiamento

Recentemente foi divulgada possibilidade de adesão ao Fundo de Apoio Financeiro e de Recuperação dos Hospitais Privados, Sem Fins Lucrativos e Hospitais Públicos (Funafir). Os valores seriam captados junto ao Banrisul, com juros subsidiados pelo Estado. Segundo Iria, ainda não há informação sobre o quanto o Estado poderá alcançar de contrapartida para este financiamento.

Folha e convênios

A folha de pagamento do Hospital está sendo conduzida conforme as possibilidades da instituição. Hoje, há saldo devedor de R$ 170 mil em relação à folha janeiro, mesmo com repasse de R$ 150 mil feito no mesmo mês pela Prefeitura. Sobre a folha de fevereiro, ainda não há perspectiva de pagamento. Também há atraso de R$ 300 mil no convênio do IPE, situação que se arrasta desde a metade de 2018.

Emendas

Apesar de não contar ainda com verba de emendas para custeio neste ano, a entrevistada informou que muitas emendas conquistadas na viagem do Cavaleiro da Esperança à Brasília já estão sendo pagas, enquanto algumas estão em licitação. Neste cenário, é muito importante manter as certidões negativas em dia, mesmo considerando outras pendências – vamos chegar no ponto de ver o que se paga primeiro – ressalta Iria, expondo uma possibilidade que a administração faz de tudo para evitar.

– Estamos buscando junto a todos os nossos vereadores e presidentes de partido, para que eles se empenhem, junto aos seus deputados federais, para que eles indiquem recurso para custeio, mesmo que seja para o ano que vem. Com isso, Iria mostra o quanto a mobilização política é importante para a instituição.

Projetos

Atualmente o Hospital conta com vários projetos de reforma de sua estrutura e, para isso, depende de diferentes iniciativas. Iria sempre agradece ao grupo Amigas do Bem, responsável pela reforma de, até o momento, 22 quartos da ala do SUS. Também está em andamento projeto de reforma da rede elétrica, reforma e adequação do serviço de urgência e ambulatorial e reforma da instalação física para a futura UTI – este último está contratado junto à Caixa, mas depende de modificação do projeto e aprovação pela Vigilância Sanitária.

Rádio Missioneira


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados