Impactos da seca na agricultura familiar missioneira são expressivos

Compartilhe!

As perdas na agricultura familiar decorrente da estiagem que ainda afeta a região das Missões foram significativas. É o que afirma o assessor da Regional Missões II, Rafael Dalenogare, em entrevista ao Jornal da Manhã desta sexta-feira (11). Mandioca, feijão, frutíferas e animais de corte para a subsistência foram os mais afetados pela falta de chuva.

Rafael destaca ainda que as perdas nas lavouras foram impressionantes. Segundo ele, o milho sequeiro teve quebra de até 90% na sua produção, sendo que em alguns casos não pôde ser utilizado nem mesmo para a produção de silagem. Até mesmo o plantio da soja já foi afetado em algumas lavouras.

O assessor da Regional Missões II também frisou que a chuva que caiu recentemente nas Missões ofereceu um certo alivio para as pastagens, mas não solucionando o nível dos mananciais de água.

Para a entidade, situações climáticas como esta permite o aprimoramento das estratégias locais no que tange o diálogo com o governo estadual e federal na busca de recursos ao município.

Embora a região tenha vivido anos climáticos excelentes nas últimas safras, Rafael Dalenogare destaca que a falta de chuva é uma realidade nas Missões e que as entidades ligadas ao setor agropecuário devem sempre estar precavidas para este fator.

Rádio Missioneira