Família Guedes lança clipe em homenagem as mulheres - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
8 de março de 2019
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Família Guedes lança clipe em homenagem as mulheres

Clipe foi gravado em São Miguel das Missões em 2018 e lançado em homenagem as mulheres (Foto:Divulgação)
8 de março de 2019 l 16:50
Materia atualizada: 08/03/2019 l 20:04

"Mulher Missioneira" interpretada por Anahy Guedes e sua família é uma homenagem a a fibra e a coragem da mulher e está disponível no facebook





Compartilhe!

O Dia Internacional da Mulher é marcado por homenagens. É um dia de declarações de carinho e reconhecimento a elas. Embora, justo fosse, que todas as mulheres recebessem homenagens pelo máximo de dias das suas vidas é preciso registrar esta data especial, muito válida, pois provoca a necessária reflexão sobre o papel da mulher, seus direitos e conquistas.

Dentre estas homenagens que transcende o dia 08 de março, está a canção Mulher Missioneira da Família Guedes, que teve seu clipe lançado nas redes sociais neste Dia Internacional da Mulher. O trabalho é de Rodrigo Bauer, poeta são-borjense e do são-luizense Jorge Guedes e integra o projeto “Pra Entender Quem Canta Assim”, uma coletânea de obras em CD e DVD com lançamento previsto para abril deste ano marcando os 30 anos de carreira musical de Jorge Guedes. O contexto da canção  é um profundo e perene reconhecimento à mulher.

O clipe foi gravado na catedral da redução de São Miguel das Missões com a direção e filmagem de Diego Bellocchio e está disponível na fanpage do facebook da Família Guedes.

Muitos temas já cantados haviam tratado de maneira sublime e profunda a mulher da nossa terra. No entanto, esta obra com interpretação de Anahy Guedes e da Família Guedes e participação de Glauco Fonseca Vieira nos faz refletir sobre o que representa estas guerreiras do dia a dia com a sua força, presença através do tempo, no que está escrito no solo sagrado das missões.

É uma obra que desperta ainda mais os admiradores do talento desta família e os profundos apreciadores da arte regionalista. Ressalta um misto de orgulho, emoção e admiração pela interpretação, a obra com certeza a marca na história da música missioneira.

Pelas notas desta canção, seu conteúdo e interpretação forte, flutuamos na ternura, no seio e semente, no amor e na esperança. Mas principalmente na força e coragem de quem segue adiante num mundo que, independentemente da época em que viveu ou que viva, precisou e precisa “matar um leão por dia”. O poema nos faz pensar também nas angustias, incertezas, esperas e solidão nos ermos desta terra, especialmente quando os homens partiam sem a garantia da volta. Isto mesmo, esta canção nos faz viver um tempo que não vivemos. As canções, assim como os livros e poemas têm o poder de desafiar o tempo e nos remeter a uma viagem onde só mesmo a alma pode percorrer.

A história do nosso Estado é carregada de tantos episódios que se revivem por conta do nosso orgulho e tradição forte. Reconhecemos e reverenciamos alguns dos nossos heróis mais evidentes, poucos destes são mulheres.

A poesia de Rodrigo Bauer se inspira numa figura de importância ímpar, tão ou mais significativa que os vultos que dão nome a locais públicos ou continuam a mirar o horizonte através de bustos de bronze pelas praças do Rio Grande afora. A mulher, anônima e forte, aquela que sem destaque nos livros tem um papel de ser a própria origem de tudo, é energia e da luz a própria vida.

É uma emocionante obra em homenagem a todas as mulheres e a canção as descreve:

…Colo e ombro do gaúcho

Muito além de companheira

Sou essência e resistência

Desta história missioneira…

 

Nestas horas o orgulho missioneiro aflora.

 

Confira o clipe e a letra de Mulher Missioneira:

Sou a cruz de quatro braços

Velha madeira ancestral

A melodia de bronze

Do sino da catedral

 

Poesia colorida

Que há na flor de corticeira

Sou a fibra feminina

Desta raça missioneira

Sou a fibra feminina

Desta raça missioneira

 

Alma bugra destes tempos

Sou herdeira deste chão

Ventre forte, mãe querência

Liberdade e coração

 

Colo e ombro do gaúcho

Muito além de companheira

Sou essência e resistência

Desta história missioneira

Sou essência e resistência

Desta história missioneira

 

Sou a vida que renasce dia a dia mais guerreira

A coragem e a esperança desta gente missioneira

A coragem e a esperança desta gente missioneira

A coragem e a esperança desta gente missioneira

 

Sou a terra mais vermelha

Sangue, barro, água de rio

Sou a fé do jesuíta

Que jamais se consumiu

 

Sou a gênese do pampa

Força ávida e campeira

Energia tão eterna

Quanto as pedras missioneiras

Energia tão eterna

Quanto as pedras missioneiras

 

A semente que germina

Bem no sul deste país

Que guapeia sol e geada

E aprofunda sua raiz

 

Sou a própria geografia

A paisagem, a fronteira

Sou a messe permanente

Desta terra missioneira

 

Por: Rogério Morais

Fonte: Rádio Missioneira


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados