Enchentes no rio Uruguai: municípios em estado de alerta

Compartilhe!

De acordo com a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, ao todo são 30 municípios atingidos pelas chuvas. Até a manhã desta sexta-feira, é contabilizado um número de 1348 pessoas desabrigadas.

A Usina de Chapecó e Itapiranga abriram todas as comportas. O fato coloca as cidades ribeirinhas, como Iraí, Itapiranga, Porto Mauá e outras em alerta, pois pode ocorrer uma das maiores enchentes da história no rio Uruguai e deixar centenas de pessoas desabrigadas. A travessia da ponte sobre o rio Uruguai, na divisa entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina está interditada.

14° BPM e 4° RCB auxiliam na remoção das famílias em áreas de risco

Um efetivo com 10 policiais militares e militares do 4°RCB e quatro caminhões auxiliam no trabalho em Porto Xavier, onde há mais de 200 famílias desabrigadas. O rio Uruguai está com mais de 12 metros acima do nível e a previsão é de subir no mínimo mais dois metros. Conforme informações do tenente Luciano Moraes Rosa, do 14° BPM, o efetivo que está no local nesta tarde retorna hoje, quando outra equipe de policiais irá até o município continuar o trabalho de retirada as famílias das áreas de risco.

Garruchos

Em Garruchos, o rio está 14,5 metros acima do normal. Conforme o pescador Dralton Moraes, o palco onde é realizado o Festival da Barranca está debaixo d’agua. O rio já atinge parte das ruas da cidade. Em contato telefônico com a reportagem da Missioneira, Dralton afirmou que algumas localidades estão ilhadas, preocupando os moradores. No Rincão dos Barreiro os moradores estão sendo removidos. A marinha argentina está auxiliando na mudança.

Pirapó

O nível do rio Ijuí, em Pirapó, não para de aumentar. A travessia por balsa que dá acesso ao município de Pirapó está suspensa. Conforme informações do assessor de imprensa da Prefeitura de Pirapó, Carlos Sebastiany, as travessias estão suspensas até o nível do rio baixar. O acesso ao município pode ser feito por terra, via município de Dezesseis de Novembro ou São Nicolau.

Porto Xavier

Em Porto Xavier, as últimas informações são de que o rio Uruguai está 12 metros acima do nível normal e a população ribeirinha foi deslocada para igrejas e salões da cidade. Algumas casas ás margens do rio estão totalmente submersas, e mesmo aquelas mais distantes que não foram atingidas, estão sendo desocupadas devido a previsão de elevação do nível do rio.

Segundo Delvequio Moraes Kronbauer, delegado de polícia de Porto Xavier, se o nível do rio alcançar a marca dos 18 metros, a água deve chegar até o centro da cidade. “O nível do rio deve subir ainda mais, e se passar dos 18 metros, teremos a maior enchente já registrada na história de Porto Xavier,” analise o delegado. Informações sobre o número de famílias desabrigadas no município ainda não foram apuradas, segundo o delegado, é difícil contabilizar devido á elevação constante do nível do rio. Os serviços básicos da cidade, até o momento, estão funcionando normalmente.

Porto Mauá 

Segundo informações do assessor de imprensa da Prefeitura de Porto Mauá, Vilson Winkler, a situação no município é critica. Nesta sexta-feira pela manhã, Winkler afirmou que o nível do rio estava em 17 metros, mas como em Itapiranga o rio estava crescendo de 15 a 20 cm por hora em Porto Mauá em poucas horas deve chegar a 21 metros. "É a maior enchente da história, em 1983 foi registrado em Porto Mauá uma enchente em que o rio passou 20 metros e 70 cm acima do nível, mas hoje com certeza passa dos 21 metros com a água que está descendo".

Conforme Winkler, as usinas de Foz e Itapiranga tiveram que abrir todas as suas comportas o que faz com que mais água desça. Em Porto Mauá na manhã desta sexta-feira não tinha energia elétrica e as 50 famílias que estavam realocadas no ginásio, precisavam ser removidas porque a água já estava chegando no local "Isso sem contar outras famílias que estão tendo que sair de suas casas" afirma Winkler.

São Borja

A Defesa Civil do município está monitorando o nível do Rio Uruguai na cidade. De acordo com medição feita pela Defesa Civil, o rio está 10 metros, acima do nível normal. Os bares e a zona ribeirinha já foram atingidos. No interior do município as estradas de Salso, Santa Luzia e Estiva já estão intransitáveis. Uma das preocupações é devido às comportas da represa de Machadinho e Itá que foram abertas, trazendo graves consequências a São Borja. Famílias já estão sendo removidas e os números de desabrigados ainda não foram divulgados, de acordo com Corpo de Bombeiros. Essa poderá ser a maior enchente dos últimos anos em São Borja.

Histórico de enchentes 

Conforme os dados da Aduana de Porto Mauá a maior enchente verificada ocorreu em 1983 quando o nível máximo foi de 20,7 metros. Outras enchentes atingiram as seguintes marcas: Em 19 de junho de 2005 o nível subiu 14,65 metros ; em 10 de outubro de 1997, para 14,3 metros; em dois de julho de 1992 para 14 metros e em 18 de julho de 1992 para 17,5 metros.