Rádio Online

Clique e confira

(55) 3352-4141

Fale conosco!

Rua Júlio de Castilhos 2236, Centro, São Luiz Gonzaga, RS

Emater/RS divulga estimativa das perdas causadas pela estiagem em São Luiz Gonzaga

Compartilhe!

Prejuízo estimado nas lavouras de milho é de 80%, enquanto a alfafa teve quebra de 40%

O município de São Luiz Gonzaga decretou nesta terça-feira (11) situação de emergência em virtude da estiagem. Na ocasião, a Emater/RS divulgou o balanço das estimativas de perdas, realizada pelo grupo técnico das entidades agropecuárias, decorrentes da falta de chuva que atinge o município desde agosto de 2021.

Confira alguns dados abaixo. O documento completo, com os valores dos prejuízos de cada setor, pode ser acessado aqui.

Milho: Área total implantada no município com a cultura é de 12.000 há; sendo que a área de plantio de milho irrigado do município corresponde a 9.000 há e apresenta uma perda por estiagem de 15%; enquanto a área de sequeiro corresponde a 3.000 ha, com prejuízo estimado de 80%.

Foto: Emater/RS | Reprodução

Milho Silagem: A área de silagem corresponde a 200 há e teve uma perda acentuada não somente em quantidade, como principalmente em qualidade, pois não houve uma boa formação de grãos, com perdas estimadas na cultura de 80%.

Soja: Com uma área de 70.000 há de soja de sequeiro e 8.650 há sobre irrigação, a cultura apresenta até o presente momento, uma perda de 30 % do seu potencial de produção na área de sequeiro, tendo em vista o déficit hídrico devido à estiagem; o que poderá ser agravado se não chover nos próximos dias, pois inclusive o nível dos reservatórios de água já está em nível crítico, tendo muitos já sem água suficiente para o acionamento do sistema de irrigação.

Foto: Emater/RS | Reprodução

Alfafa: Com uma área de 950 há, a cultura produz em média 1.500 kg de feno/há/corte, num total de 8 cortes; apresentando devido a estiagens do corrente ano, uma queda de produção e produtividade de 40%.

Bovinos de Leite: Com rebanho de 1.743 cabeças em lactação o efeito da estiagem na produção de leite, deve-se à paralisação no desenvolvimento das pastagens nativas e cultivadas e atinge redução de 25% na produção até o presente momento.

Bovinos de Corte: Com um rebanho de 51.320 cabeças, estima-se, com base no escore corporal dos animais, uma perda de 50% no ganho de peso diário, o qual equivale a 600g/animal/dia, para o período agosto a dezembro, resultando em uma perda de 300g/animal/dia, o que totaliza ao longo dos últimos 4meses do ano (período mais acentuado de estiagem para campo nativo e outras pastagens perenes e cultivadas anuais), um total de 1.847.500 Kg de peso vivo.

Foto: Emater/RS | Reprodução

Trigo: Área total implantada no município com a cultura é 33.000ha. As perdas finais estimadas ficaram em 21,21%. As produtividades foram extremamente variadas, em função de verificarmos diferentes níveis de severidade dos eventos climáticos nas diferentes regiões do município.

Canola: Área total implantada no município com a cultura é 2.350ha. As perdas finais estimadas ficaram em 33,33%, decorrentes das geadas e também da seca ocorrida mais ao final do ciclo das variedades mais tardias. As produtividades foram extremamente variadas, em função dos diferentes níveis de severidade dos eventos climáticos nas diferentes regiões do município.

Olericultura: Com uma área de 16 há; 12 famílias de pequenos agricultores são responsáveis pela produção de aproximadamente 20 toneladas de produtos olerícolas, tais como: cenoura, beterraba, rabanete, cebola, alho, pepino, pimentão, tomate, abóbora, moranga, batata doce, mandioca, couve, alface, rúcula, repolho, frutíferas diversas, dentre outras, abastecendo feiras, consumidores diretos, mercados, bem como, programas governamentais como PNAE e PAA e uma cooperativa destes agricultores, a qual é responsável também pela comercialização da produção destes agricultores.

Foto: Emater/RS | Reprodução

Culturas de subsistência: O nosso município possui 1.265 estabelecimentos no meio rural, destes 90% produzem alimento para o seu autoconsumo, as perdas estimadas para a produção de culturas de subsistência já chegam a 60% e se agravam mais a cada dia que passa sem a ocorrência de chuva.

 

Fonte e fotos: Emater/RS | Escritório Municipal de São Luiz Gonzaga