Deputado Jerônimo Goergen discute atualização da tabela do Imposto de Renda

Compartilhe!

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados promoveu nesta semana uma audiência pública para discutir a atualização da tabela do Imposto de Renda e do teto do lucro presumido. O debate é uma iniciativa do deputado federal Jerônimo Goergen (Progressistas).

Em entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneria FM 94.9 nesta sexta-feira (7), Goergen afirma que a última correção da tabela do IR ocorreu em 2015 e que a falta de revisão tem levado os brasileiros a pagarem mais imposto a cada ano. “A demora na atualização faz com que os contribuintes passem a pagar uma alíquota maior em relação ao exercício anterior, visto que há uma defasagem inflacionária grande”, considera.

Segundo o deputado, a defasagem é de 113% e quando nem a inflação é reajustada, quem perde é a população. Conforme ele, R$ 37 bilhões deixam de entrar para o bolso dos contribuintes e, automaticamente, na economia.

Quanto à mudança do teto do lucro presumido (tributação que leva em conta a presunção do lucro da empresa em determinado período), o parlamentar destaca que a medida incentivará a atividade empresarial no País. Uma nova reunião deverá ser realizada amanhã (8) para discutir a pauta.

CPI DA COVID

Sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) referente à covid-19, em andamento em Brasília, Jerônimo Goergen considera que as respostas já são conhecidas, visto que o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB/AL), possui partidarismo nas análises. “No meio de uma pandemia, o ministro da Saúde precisou ficar 12 horas respondendo à questionamentos, ao invés de estar trabalhando, isso não é correto”, avalia o deputado.

ESTUDOS

Jerônimo Goergen finaliza informando que tomou a decisão de retomar os estudos. Ele, que é formando em direito e pós-graduado em direito empresarial, agora buscará a formação no ramo de analista de comércio exterior. “Sempre é bom aperfeiçoar os conhecimentos e essa é uma área muito importante e que tenho afinidade”, conclui o deputado.

Rádio Missioneira