Coopatrigo inicia mais uma turma do Aprendiz Cooperativo do Campo

Compartilhe!

A Coopatrigo, em parceria com o Sescoop/RS, está dando prosseguimento ao seu processo de aprendizagem com o desenvolvimento de turmas do Aprendiz Cooperativo do Campo e na semana passada iniciou as atividades de uma nova turma que vai funcionar na Escola Estadual Castro Alves, de Rolador.

O Programa Jovem Aprendiz Cooperativo do Campo é um projeto do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, que atende as cooperativas agropecuárias com cursos de aprendizagem em atividades dirigidas aos jovens filhos de associados e ou membros das comunidades onde a cooperativa atua, estimulando a permanência dos mesmos no campo e promovendo a sucessão familiar.

O curso é desenvolvido pela Cooperconcórdia de Santa Rosa que já realiza este curso em várias regiões do Rio Grande do Sul e na região da Coopatrigo já formou duas turmas, uma na Escola Santa Terezinha de São Lourenço e outra na Escola Aquilino de Santis de Santo Antônio das Missões e ainda tem uma outra em andamento que é na Escola Municipal Guiomar Medeiros da Esquina Piratini, município de Bossoroca.

A nova turma na Escola Estadual Castro Alves tem 25 alunos que foram selecionados pela própria comunidade escolar e está iniciando de forma virtual, os quais possuem um contrato de trabalho como aprendizes da Coopatrigo para participarem deste curso durante aproximadamente um ano e oito meses.

A apresentação da nova turma ocorreu no dia 9, de forma virtual, com a presença do presidente da Coopatrigo Ivo Batista, o presidente da Cooperconcórdia Alexandre Dall’Agnese, o gerente de Promoção Social do Sescoop/RS, José Zigomar Vieira dos Santos, o diretor da Escola Castro Alves, Luiz Carlos Aquino, a secretária de Educação de Rolador, Geni Kowalski, o secretário de Agricultura de Rolador, Isaias Vichietti e também alunos e pais.

O presidente da Coopatrigo Ivo Batista, durante sua manifestação, destacou que este é um grande projeto para o cooperativismo e muito importante, principalmente visando o fortalecimento do trabalho cooperativista e a discussão da sucessão familiar como alicerce da busca da permanência do jovem na atividade e a importância de dar continuidade a um trabalho de extrema importância na vida de jovens.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Coopatrigo