Com Argentina em crise, é menor o número de turistas que passa pela região para viajar ao litoral - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
4 de janeiro de 2019
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Com Argentina em crise, é menor o número de turistas que passa pela região para viajar ao litoral

Foto: Divulgação/Mercovia
4 de janeiro de 2019 l 08:10
Materia atualizada: 04/01/2019 l 08:10

Movimento é 35% menor do que no verão passado





Compartilhe!

Os argentinos estão com menos dinheiro neste verão. É menor o número de turistas hermanos no Brasil nesta temporada de veraneio. Nas estradas, não se vê tantos carros argentinos rumo ao litoral.

Em São Luiz Gonzaga, cidade em que muitos paravam para pernoitar antes de seguir viagem, era grande o número hóspedes nos hotéis, que chegaram a ter 100 argentinos em uma semana. Neste ano, com o país em crise, o hotel mais movimentado da cidade teve apenas 10 turistas no mês de dezembro. Conforme o que apurou a reportagem da Missioneira, nos outros estabelecimentos os números são parecidos. Os dados da Mercovia, na fronteira em São Borja, demonstram que o movimento é 35% menor do que em dezembro de 2017 e início de 2018.

Crise no país

Com governo liberal do presidente Maurício Macri, o país está em recessão. O ano de 2018 foi difícil para o povo argentino, com inflação em torno de 47% e um dólar custa 39 pesos, o que diminuiu o poder de compra. É o principal fator que impede as viagens de férias nas praias brasileiras, distantes mais de mil quilômetros. O presidente pediu socorro ao Fundo Monetário Internacional (FMI) duas vezes nos últimos meses.

Segundo reportagem do jornal El País, a situação dos lares mais vulneráveis piorou com a alta do preço dos alimentos (31% no último ano), do transporte (40%) e com a queda dos pequenos trabalhos informais. Muitos desses trabalhos informais são encomendados pela classe média, que apertou o cinto ante o aumento de até 1.000% no preço da luz, do gás e da água em relação às tarifas hipersubsidiadas durante o o governo anterior e cujo poder aquisitivo diminuiu com reajustes salariais inferiores à inflação.

Autora: Amanda Lima

Fonte: Rádio Missioneira


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados