logo-nova

Rádio Online

Clique e confira

(55) 3352-4141

Fale conosco!

Rua Júlio de Castilhos 2236, Centro, São Luiz Gonzaga, RS

Colheita da soja avança em ritmo acelerado no Rio Grande do Sul

Compartilhe!

A cultura da soja está no estágio final do ciclo produtivo no Rio Grande do Sul. De acordo com o Informativo conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (4), a colheita progrediu em um ritmo mais acelerado na última semana, alcançando 20% da área cultivada. Cerca de 51% das lavouras encontram-se em processo de maturação e as restantes estão predominantemente na fase final de enchimento de grãos. A produtividade estadual projetada é de 3.329 kg/ha.

A maior parte das lavouras em maturação encerra o ciclo fenológico, sem ocorrência de senescência prematura das plantas. As vagens apresentam desenvolvimento satisfatório, os grãos entram em processo de redução do teor de umidade, sendo esperado o ponto adequado para a colheita, e algumas hastes vegetativas mantêm a coloração verde. Foram observadas plantas ainda com vigor vegetativo ao término do ciclo, o que indica bom desempenho da cultura ao longo de seu desenvolvimento, sugerindo perspectiva positiva em relação à produtividade. Contudo, essa condição requer uma redução na velocidade das operações de colheita para garantir a eficiência do processo.

Em termos de produtividade, os resultados são variáveis. Porém, há aumento perceptível nos rendimentos das áreas colhidas, o que evidencia maior potencial de rendimento nas lavouras semeadas entre o final de novembro e o início de dezembro e nas de ciclos menos precoces.

Os preços do grão apresentam elevação gradual desde o final de fevereiro, embora ainda permaneçam de 10% a 15% inferiores aos valores observados no início do período de semeadura. Essa situação impacta diretamente a margem de lucro da atividade, que por vezes apresenta custos consideravelmente elevados, que são repassados para o financiamento por parte das instituições financeiras, exigindo dos produtores recorrer ao acionamento do seguro Proagro para áreas com produtividades inferiores ou em torno de 2.000 kg/ha.

Foto: João Moccellin 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

IMPORTANTE: Não autorizamos a reprodução de conteúdo em outros sites, portais ou em mídia impressa, salvo sob autorização expressa.