Cerco a assaltantes em São Nicolau: “Não demos por terminada esta caçada” - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
1 de abril de 2019
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Cerco a assaltantes em São Nicolau: “Não demos por terminada esta caçada”

Foto: Nivaldo Maciel/Rádio Missioneira
1 de abril de 2019 l 20:26
Materia atualizada: 02/04/2019 l 09:45




Compartilhe!
  • 182
    Shares

A situação de cerco aos criminosos que tentaram assaltar a agência do Banrisul de São Nicolau na sexta-feira (29) já se estende por mais de três dias. Nesta guerra de nervos, somam-se paciência, resistência e dedicação, além de muitos outros atributos que compõem a formação de um policial. Em entrevista ao programa Jornal da Manhã desta segunda-feira (01/04), o Major Ernani, comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, falou a respeito do trabalho de buscas que vêm sendo realizado em São Nicolau.

Voltando ao dia e momento do fato, o entrevistado redesenhou a ação dos bandidos. Frustrada pela intervenção de um cidadão, que, utilizando-se de uma arma, atirou contra os assaltantes, que estavam fortemente armados. Segundo Ernani, o combate à ações criminosas como essa é dificultado justamente pelo elemento surpresa, privilégio dos criminosos, porém, desta vez observou-se uma inversão dessa tendência.

Expectativas

– Não demos por terminada esta caçada – ressaltou o Major, informando que, em um primeiro momento, os indivíduos (suspeita-se que seja um total de seis) lograram êxito na fuga, porém, é possível que estejam encurralados em uma região de mato fechado na localidade de Santo Isidro.

Durante a entrevista Ernani também confirmou algumas informações que já estavam sendo divulgadas, como a possibilidade de indivíduo ferido, baleado na perna. Vestígios de sangue encontrados em alguns locais reforçam essa tese. Ele também não descarta a possibilidade de uma fuga pelo rio, uma vez que, no mínimo um dos assaltantes deveria conhecer bem a área.

Apoio

Policiais de toda a região atuaram no cerco aos assaltantes. Além disso, também foi deslocado para a região um efetivo do 1º BOPE de Porto Alegre, com especialidade em ações de incursão em área de alto risco. Entretanto, paralelo a isso, o Major destacou que o maior apoiador da Polícia sempre serão os colaboradores anônimos, que sempre poderão prestar suas informações pelo 190.

Destacando que a região das Missões não se encontra em um cenário crítico de insegurança, Ernani disse que, felizmente, eventos como esse não são frequentes e, conforme pode-se observar, têm sido pouco exitosos. Ele finalizou que a sociedade pode seguir acreditando no trabalho dos órgãos de segurança.

Rádio Missioneira


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados