Carlos Eduardo Pires é exemplo de sucessão familiar na agricultura das Missões

Compartilhe!

Engenheiro agrônomo segue a trajetória construída pela família na agricultura. O mesmo ocorre com outros jovens missioneiros

O produtor rural Carlos Eduardo Braga Pires formou-se há sete anos em Agronomia. Após concluir a graduação, optou por seguir a trajetória construída no meio agrícola há três gerações por sua família em São Luiz Gonzaga. Esta trajetória de sucessão familiar de Carlos Eduardo foi tema do capítulo 118 do programa Paixão pela Terra, produzido pela empresa ICL América do Sul e pode ser conferido aqui.

Carlos Eduardo, 30 anos, é o atual presidente da Associação Regional dos Profissionais da Agronomia (Arpa) de São Luiz Gonzaga e evidencia que a associação é um retrato de como a sucessão familiar no meio agrícola vem ganhando destaque nos últimos anos. Segundo ele, dos 80 sócios ativos, 55 possuem menos de 40 anos.

Conforme o engenheiro agrônomo, um dos fatores que tem alavancado o retorno e a permanência de filhos de produtores rurais no interior é o clima favorável registrado nos últimos oito anos na região, o que oportunizou a colheita de safras excelentes.

Carlos Eduardo é filho de Paulo Pires, presidente da Coopatrigo e da FecoAgro. Ele evidencia que a sucessão familiar na agricultura, em seu caso, ocorreu de forma natural, mas não é o que ocorre em muitas outras propriedades rurais.

Aos jovens que estão cursando alguma graduação e pretendem retornar ao campo, o engenheiro agrônomo pede para que tentem adquirir o máximo de conhecimento possível, para poder colocar em prática na propriedade e, assim, gerar uma produção rentável e que justifique a sua permanência no setor.

Rádio Missioneira