Boas gestões e preços altos amenizam frustrações de 2020 e clima segue como principal fator para sucesso da próxima safra

Compartilhe!

Presidente da Fecoagro e candidato na chapa – até agora única – para a presidência da Coopatrigo a partir de março de 2021, Paulo Cezar Vieira Pires foi entrevistado no programa Jornal da Manhã desta quarta-feira, 30 de dezembro. Além do seu futuro no cooperativismo, ele também informou a respeito dos resultados do agronegócio neste ano e perspectivas para 2021.

Com registros de uma quebra em nível estadual de 47% na mais recente safra de soja e 37% no milho (dados da Rede Técnica Cooperativa), o preço pago pelos produtos agrícolas foi uma válvula de escape da pressão sobre os produtores, amenizando efeitos negativos. Isso também se reflete no faturamento das cooperativas, mesmo em regiões fortemente atingidas pela estiagem, como Soledade e Espumoso, onde se registrou mais de 50% de quebra na soja. A eficiência das administrações também é fator preponderante neste cenário de equilíbrio, segundo Paulo.

Sucessão na Coopatrigo

Sobre as eleições na Coopatrigo, onde é o mais cotado para assumir a presidência, tendo ao seu lado Luis Flávio de Oliveira como vice e Marcos Pilecco como supervisor, ele informou que as mesmas podem ser convocadas em um prazo de 90 dias após o fechamento do exercício, com as devidas prestações de contas e aprovações de conselhos. Mantém-se a previsão de que essa sucessão seja encaminhada para meados de março de 2020. Mesmo sendo atualmente presidente da Fecoagro, ele diz que não existe mecanismo que lhe impeça de assumir um cargo como presidente de uma cooperativa, porém, deixou claro que a intenção não é acumular os dois cargos.

Falando a respeito das perspectivas de voltar à presidência da Coopatrigo, Pires, que foi funcionário da Cooperativa por cinco anos, depois vice-presidente por mais três e presidente por 12 anos, tranquiliza os associados quanto às conversas que estão acontecendo com a atual diretoria no tocante à manutenção dos incentivos e vantagens que a Cooperativa proporciona. O propósito, ressaltou o entrevistado, é sempre aprender com os erros e valorizar os acertos.

Confiante na questão pessoal, Paulo Pires diz que se encontra em uma fase muito favorável ao novo desafio que está se propondo, pois amadureceu como gestor e possui uma forte base familiar, que lhe tranquiliza e dá suporte. Evidenciou também o crescimento e a expansão que a Cooperativa teve, tornando-se referência regional, e esse processo deve continuar firme e forte, dando andamento aos projetos e atividades do quadro funcional.

Cenário em 2021

Questionado sobre a manutenção dos preços agrícolas, o Presidente da Fecoagro acredita que o fator mais importante para se preocupar é o clima. Quanto ao mercado, sabe-se que o momento atual é bom e o agro brasileiro tem se destacado no mundo e o desafio de 2020 está vencido. Cabe ingressar em 2021, onde certamente teremos um ano melhor, com trabalho, solidariedade e muito cooperativismo.

Rádio Missioneira