4º RCB realiza o lançamento de sua Moeda Histórica

Compartilhe!

Organização militar completa 100 anos de ocupação das atuais instalações em 2024. Atividade faz parte do resgate das raízes, valores e tradições 

O 4º Regimento de Cavalaria Blindado, sediado em São Luiz Gonzaga desde 24 de maio de 1924, comemorará o centenário de ocupação das atuais instalações no ano de 2024. No intuito de contribuir para as futuras atividades de celebração desta importante data, o 4º RCB uma das mais antigas e tradicionais Unidades de Cavalaria do Exército Brasileiro, criada em 1737 e que herda a denominação histórica dos Dragões do Rio Grande, cunhou sua Moeda Comemorativa.

A Moeda Histórica faz parte do projeto Pró-Memória, por meio do qual serão desenvolvidas atividades de resgate das raízes, valores e tradições, que contribuirão para enaltecer o passado de glórias desta Organização Militar, que se confunde com a própria história do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Elaborada com um design refinado, relevo, e rica em detalhes, a moeda simboliza a história do Regimento, e a sua vocação para o legado dos combates, na defesa do solo pátrio, com foco na modernidade sem esquecer os seus antepassados.

A Moeda

Características: em ouro fundido e envelhecido, de forma circular, com seis centímetros de diâmetro e quatro milímetro de espessura.

No anverso: a efígie do Dragão empunhando a lança da Cavalaria, circundada pela inscrição “4º REGIMENTO DE CAVALARIA BLINDADO – SÃO LUIZ GONZAGA – RS”. Dragões do Rio Grande O atual 4º Regimento de Cavalaria Blindado foi organizado em 03 de maio de 1737, junto ao Canal do Rio Grande, para guarnecer as fronteiras portuguesas contra a expansão dos domínios espanhóis. O costume português de designar seus Regimentos pelo nome do lugar onde estavam sediados lhe conferiu a denominação inicial de “Dragões do Rio Grande de São Pedro”; Dragões – Monstro fabuloso, asas de águia, cauda de serpente e garra de leão, que a todos assustava. Assim é conhecido o Soldado de Cavalaria, adestrado para combater a pé e a cavalo. Como o monstro, aterrorizava os inimigos no campo de batalha por sua audácia, coragem e sangue frio; Escudo de ouro com leão vermelho empunhando a lança – Ao centro, simboliza a nobreza, a coragem e audácia do cavaleiro no fragor das cargas; Coroa de ouro com o pinheiro – Ao centro, símbolo do sacrifício dos que vencem com o próprio sangue; Lanças cruzadas significa que as armas, a bravura e o poder estão unidos com toda a força.

No reverso: as imagens que representam o Soldado Dragão do Rio Grande, montado a cavalo, o “Nobre Amigo”, com o seu uniforme histórico, portando arcabuz e espada, os Carros de Combate de dotação da Cavalaria Blindada a VBTP M113 e a VBC LEOPARD 1A5, tudo circundado pela frase lema “DO PASSADO AO PRESENTE, DEFENDENDO ESTE CHÃO”.

Tradição da moeda no meio militar

Na Roma antiga, os soldados que se destacavam em batalhas, ou nas atividades militares, eram condecorados com uma premiação extra, entregue pela alta cúpula militar daquele império – uma moeda. Este é o primeiro relato histórico da moeda com o mundo militar.

Com o passar dos anos, a troca de moedas ou medalhas, entre militares, é uma tradição que reforça a camaradagem, não distinguindo país ou força armada.

Fonte: Relações Públicas do 4º RCB