Região: situação novamente é de alerta na região

Na noite de sexta-feira (27/06) foi anunciado que as águas do Rio Uruguai haviam cessado e que a cheia do rio poderia estabilizar, porém, a vasão das usinas pela madrugada aumentou, e na manhã deste sábado, a informação que se tem é de que o nível do rio voltou a subir.

Se comprado com Itapiranga, que serve de parâmetro para nos orientar, a diferença de tempo entre a suba ou descida do rio é de 10 a 12 horas para Porto Xavier.
Como não há mais marcação no Porto Internacional, hoje pela manhã foi utilizado um nível para fazer a medição. Em Porto Xavier, às 08h15min, o rio atingiu a marca de 15,7m (quinze metros e setenta centímetros) e a média de crescimento na madrugada atingiu entre 10 e 18 cm.Equipes da Defesa Civil Municipal já trabalham há dois dias na remoção das famílias, com auxilio do exército e de voluntários da comunidade e neste momento é estimado que mais de 300 famílias já foram removidas de suas casas.
A orientação da Defesa Civil é que as pessoas estejam preparadas para saída, pois a enchente deverá ser igual ou superior a enchente histórica de 83, pois a vasão de água nas hidrelétricas voltou a subir.

Garruchos 

Em Garruchos, o rio Uruguai está 17 metros acima do normal. Moradores ribeirinhos estão desabrigados. Várias casas localides do interior às margens do rio estão debaixo d´água. Os animas criados pelos moradores, como vacas e bois também estão debaixo d’água. A força da água é tanta que já cruzou ilhas e casas carregadas pelas correntezas do Uruguai. A equipe da Prefeitura Municipal de Garruchos e Defesa Civil prestam apoio às famílias. A Prefeitura Municipal d está desde ontem em estado de alerta e disponibilizando pessoal e maquinário para ajudar as famílias que estão desabrigadas. Hoje desde muito cedo funcionários públicos e caminhões estão trabalhando em todo o município. A Secretaria de Ação Social está aberta recebendo as famílias e organizando locais para os desabrigados. As cestas básicas que seriam entregues na terça-feira à população serão destinadas aos que saíram de suas casas. 

Porto Mauá

Em Porto Mauá, há pelo menos 240 famílias que perderam suas casas. Destas, 180 ficam na área do veraneio e 60 no centro da cidade. Ao todo, são mais de 700 pessoas desabrigadas. Igrejas, ginásios e clubes são usados como abrigos.

Roque Gonzales

As águas do rio Ijuí com o Rio Uruguai geram imagens impressionantes em Roque Gonzales. Além disso em poucas horas o Rio Uruguai poderá atingir o nível histórico. O rio Ijuí  está com nível acima do normal. Na localidada da Barra do rio Ijuí, diversas casas desaparecem debaixo d’água. Moradores foram retirados do local com lanchas.