Formada comissão da AMM que vai trabalhar pela Ponte Internacional Porto Xavier/San Javier

A luta para a construção da ponte internacional Porto Xavier/San Javier ganhou força extra. Os prefeitos da Associação dos Municípios das Missões (AMM) aprovaram, na sexta-feira, 25 de abril, durante a assembleia mensal da entidade, a criação de uma comissão especial de prefeitos que vão somar forças com o a comissão empresarial pró-ponte, que já atua intensamente pela obra. Na reunião, que aconteceu em Cerro Largo, foram indicados para compor o grupo o presidente da AMM, prefeito de São Luiz Gonzaga, Junaro Rambo Figueiredo; prefeito de Porto Xavier, Paulo Sommer, que também é vice-presidente da Associação; prefeita de Sete de Setembro e diretora do Departamento de Turismo da Fundação dos Municípios das Missões (Funmissões), Rosane Grabia, e a vice-prefeita de Santo Ângelo, Nara Damião.

Uma das primeiras ações da comissão da AMM foi oficializar pedido de audiência com o ministro dos Transportes e o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), em Brasília. Mais uma vez, os prefeitos vão reiterar às autoridades federais que a construção da ponte em Porto Xavier vai alavancar um aumento substancial no desempenho econômico da região, além da ampliação de outros serviços que acompanham o crescimento da produção agrícola e industrial. Conforme informou o presidente da AMM, Junaro Rambo Figueiredo, as audiências podem ocorrer no próximo mês de maio, entre os dias 12 a 14, quando os prefeitos da região estarão na Capital federal participando da Marcha em Defesa do Municipalismo, organizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

Os prefeitos da comissão estão preparados para buscar o apoio político que for necessário para que esta obra seja concretizada. "Precisamos nos mobilizar em mais esta luta que vai fortalecer o desenvolvimento econômico missioneiro e do país. Nossa região reúne todas as condições para construção da ponte em Porto Xavier", garantiu o dirigente da AMM. Já o prefeito de Porto Xavier, Paulo Sommer, reiterou que "o momento é de fazer pressão política. O resultado dos estudos técnicos está previsto para ser divulgado em maio, e se não unirmos forças e reivindicarmos vai passar mais um ano, dois ou muito mais, e nada vai acontecer", alertou.