Secretário de Obras explica falhas no recolhimento do lixo - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
9 de outubro de 2014
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Secretário de Obras explica falhas no recolhimento do lixo

9 de outubro de 2014 l 14:19
Materia atualizada: 09/10/2014 l 14:19




Compartilhe!

O programa Jornal da Manhã desta quinta-feira teve a participação do secretário de Obras de São Luiz Gonzaga, Luis Carlos Oliveira, que explicou os motivos da falta de coleta do lixo registrada recentemente. Luiz Carlos assegurou que a empresa responsável pelos serviços de coleta foi advertida e vai sofrer penalidades previstas em multa se isso se repetir.

Já é de conhecimento popular que essa empresa, a Engesa, não será mais a prestadora oficial dos serviços de recolhimento de lixo em São Luiz, porém, o processo de implantação do trabalho da empresa que assume em seu lugar só se inicia a partir do dia 15 de outubro. Sobre isso, o Secretário disse que, no novo contrato, será implantado um dia do mês para que a coleta seja feita no interior, ao contrário do que ocorre com a Engesa, que recolhia a partir do primeiro dia útil do mês nas localidades interioranas.

Declarando-se defensor da tese de que o lixo deveria ser responsabilidade do município, Luis Carlos diz que esse seria o modelo ideal, pois o investimento seria de R$ 90 mil, menor do que o valor pago a uma empresa terceirizada, porém, ele sabe que a administração não possui recursos para bancar esse investimento. A respeito do valor pago à Engesa e que passa a ser pago à nova empresa, Luis Carlos concordou que o recurso deverá ser quase o mesmo, citando algumas mudanças, como acréscimo de um funcionário, passando de seis para sete coletores.

Analisando um futuro onde São Luiz pudesse administrar esse serviço por conta própria, o Secretário de Obras disse que seria necessário obter dois caminhões coletores e um terceiro, sobressalente, o que demandaria investimento de cerca de R$ 900 mil e, enquanto o município não tiver um aterro sanitário próprio, também seria necessário comprar outro caminhão para transporte e aí já estaríamos falando de mais R$ 450 mil, contemplando investimentos que seriam feitos, mas, a longo prazo, certamente seriam diluídos.

Sobre a situação dos buracos nas ruas de São Luiz, o Secretário falou que sua pasta não tem total gerência sobre este problema, porém, segundo informações obtidas por ele da Secretaria da Administração, neste mês de outubro, tem data marcada para a abertura de propostas e, em novembro, se iniciaria processo tanto de tapa buracos como de reperfilagem, com previsão de cinco quadras para receber esse serviço.
 


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados