Sindiágua/RS se mobiliza e ganha apoio na luta contra a privatização da Corsan

Compartilhe!

Atos alertando sobre os riscos da venda da companhia serão realizados nesta segunda-feira em várias cidades gaúchas

Prefeitos de municípios da Grande Porto Alegre solicitaram ao Governo do Estado para que retire o pedido de urgência do projeto de regionalização do saneamento e privatização da Corsan. A medida é apoiada, também pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água (Sindiágua/RS).

Em entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9 nesta segunda-feira (23), o diretor do Sindiágua, Sady Xavier da Cruz, enfatizou que a retirada do pedido de urgência é necessária para que as discussões em torno do tema sejam ampliadas. Segundo Sady, é grande o número de prefeitos que estão com muitos questionamentos em relação ao projeto do governo.

Segundo ele, inclusive o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gabriel Souza (MDB), tem dúvidas sobre o processo de privatização das Corsan e regionalização da água.  Sady lembrou que nem mesmo as Bacias Hidrográficas estão sendo levadas em conta pelo governo de Eduardo Leite nesta proposta.

“Nós iremos conseguir manter a água pública, se tudo der certo”, enfatizou Sady.

Para isso, o diretor do Sindiágua ressalta que o sindicato está se mobilizando com prefeitos gaúchos e o Ministério Público a fim de discutir o assunto e mostrar os prejuízos que a privatização da água gera à população. Uma série de contatos também está sendo realizada com parlamentares gaúchos a fim de buscar uma adesão ainda maior.

Nesta segunda-feira, do meio-dia às 13h30, o Sindiágua e funcionários da Corsan, lançarão a campanha favorável à realização do Plebiscito Popular. Atos em diversas cidades do Estado, através de panfletagem, alertarão sobre os riscos das privatizações. Em São Luiz Gonzaga, a mobilização ocorrerá na Praça da Matriz.  

Confira, abaixo, a entrevista completa de Sady Xavier ao comunicador Nivaldo Maciel:

Rádio Missioneira