Lideranças lançam chapa para concorrer à presidência da Coopatrigo

Compartilhe!

Em março de 2021 ocorrerão novas eleições na Coopatrigo e uma nova chapa foi formada recentemente para a disputa. Três integrantes deste grupo participaram do programa Jornal da Manhã desta quinta, 3. São eles o atual presidente da Fecoagro, Paulo Cézar Vieira Pires, o vice-presidente da Coopatrigo Luis Flavio de Oliveira e o engenheiro agrônomo Marcos Pilecco.

Primeiro a falar, Luis Flavio, que vem junto com a atual administração há muitos anos, disse que, por algumas divergências com a diretoria, optou por investir em um novo projeto e trabalha de forma tranquila com essa situação, seja qual for o resultado das eleições. Outro que é colaborador de longa data da Coopatrigo, Pilecco destacou que o sistema cooperativo sempre foi objeto de muitos estudos de sua parte e acredita que chegou a hora de contribuir na diretoria da empresa, onde tanto atuou de forma profissional.

Falando na sequência, Paulo Pires primeiramente exaltou a qualificação e desprendimento de seus companheiros de chapa, que, assim como ele, são entusiastas dessa iniciativa em prol do desenvolvimento da Cooperativa. Luis Flavio, assim como ele, é associado da Cooperativa e tem todo o conhecimento e representatividade para respaldar essa chapa. Pilecco, com todo o seu profissionalismo já conhecido, reforça esse grupo, com o acréscimo de sua vontade em trabalhar agora em meio a uma nova diretoria.

Oriundo de diversos setores da Coopatrigo, onde foi gerente de insumos, gerente comercial, vice-presidente e, por fim, presidente, Paulo Pires disse que se retirou no momento em que ocorreu um movimento de mudança no âmbito da Cooperativa, o qual entendeu e considerou totalmente válido perante o processo de rotatividade inserido no cooperativismo. Atualmente, com o anseio de uma boa parte dos associados direcionado para uma nova mudança, ele deseja mostrar um novo projeto para o quadro social, de forma democrática e sem qualquer ataque a pessoas.

Questionado sobre propostas ao quadro associativo, Paulo diz acreditar em um maior compartilhamento na questão de tomada de decisões e demais iniciativas. Obviamente respeita-se o que está sendo feito, assim como os resultados obtidos, que são fruto de um trabalho conjunto. Caso eleito, pretende seguir fazendo tudo o que está dando certo, mas tem convicção de que é possível fazer melhor. Longe de ser algo de curto prazo, o plano de ação da chapa propõe ações para até 2030, considerando aspectos como o atual momento de enfrentamento de crises como a pandemia e estiagens, além de muitos outros aspectos que serão apresentados aos associados.

Rádio Missioneira