Hospital São Luiz Gonzaga está sem nenhum paciente na Ala Covid

Compartilhe!

Já são quase 48 horas sem o registro de internações. Agora, casa de saúde já realiza outros procedimentos e segue salvando vidas

A semana inicia com uma notícia alentadora. Em entrevista ao programa Jornal da Manhã na Missioneira FM 94.9 nesta segunda-feira (26) o diretor técnico do Hospital São Luiz Gonzaga, médico José Renato Grisólia, confirmou que a Ala Covid do Hospital São Luiz Gonzaga se encontra sem nenhum paciente internado.

Conforme Grisólia, já são quase 48 horas sem o registro de hospitalizações de pessoas com sintomas ou resultado positivo para a doença, marca que não era registrada desde o início da pandemia. Para o médico, não há dúvidas de que a melhora nos indicadores é resultado da vacinação.

A média móvel de óbitos pela covid-19 está em queda em todo o Brasil, mas segundo ele, os cuidados devem permanecer, a fim de evitar uma nova onda da doença e que coloque “por água abaixo” todos os esforços e avanços que já foram feitos. Entre março e maio deste ano, a Ala Covid chegou a ter quase 40 pacientes internados.

PROCEDIMENTO INÉDITO

Sem a superlotação provocada pela covid-19, o Hospital São Luiz Gonzaga já consegue, novamente, realizar outros procedimentos. José Renato Grisólia trouxe para a opinião pública um fato inédito registrado na casa de saúde local neste final de semana.

Conforme o médico, um paciente desenvolveu uma condição em que criou um liquido (sangramento) entre o músculo e a pele que cobre o coração e em função do aumento do sangue, o órgão não conseguia mais se contrair para executar os batimentos. Após diagnóstico do caso, o procedimento mais indicado era a drenagem do líquido.

“Não conseguíamos fazer a transferência do paciente. Seu quadro de saúde foi piorando e, ao longo do dia, suas condições se deteriorando. Após permissão da família, realizamos uma punção do hematoma do coração, algo que não é realizado aqui”, contou o médico.

Conforme se fazia a retirada do sangue, a pressão do paciente foi amenizando gradativamente e suas condições de saúde melhoraram de imediato.

“Todos os colegas envolvidos neste caso e que salvaram a vida desta pessoa estão de parabéns. A família só tem a agradecer”, finalizou José Renato Grisólia.

Rádio Missioneira