Feminicídio em São Nicolau: "Não há motivos pra comemorar a prisão", diz capitão do 14° BPM - Rádio Missioneira - São Luiz Gonzaga - RS
55.99986.2313 (55) 3352-4141

PREVISÃO DO TEMPO

São Luiz Gonzaga
12 de dezembro de 2018
55.99986.2313 (55) 3352-4141

Feminicídio em São Nicolau: “Não há motivos pra comemorar a prisão”, diz capitão do 14° BPM

Foto: Divulgação/14° BPM
12 de dezembro de 2018 l 10:25
Materia atualizada: 12/12/2018 l 10:25

José Valnês Silva Siqueira foi preso pelo efetivo da Brigada Militar de São Nicolau logo após o crime





Compartilhe!

Poucos minutos após matar com mais de 10 facadas a ex-mulher, José Valnês Silva Siqueira foi preso pelo efetivo da Brigada Militar de São Nicolau. Ele é acusado de assassinar Nathiele de Ávila Siqueira, de 28 anos. O crime aconteceu no meio da rua. Conforme o boletim de ocorrência, a vítima foi socorrida por pessoas que passavam no local, que e levaram para atendimento médico, mas morreu em virtude das inúmeras facadas que levou do agressor.

“Não precisava ter feito essa covardia com a minha mãe”, diz filha de mulher assassinada pelo ex-marido

Segundo o capitão Eduardo Brum, a prisão de José Valnês não é motivo de comemoração. “Foi a perda da vida de uma mãe, o que não é motivo de comemoração alguma”, disse em entrevista ao programa Jornal da Manhã. “Podemos chamar de assassino sanguinário pela crueldade do crime”, destacou o oficial.

O acusado foi preso em flagrante e levado ao presídio. A reportagem da Missioneira ainda não conseguiu confirmar se haverá pedido de prisão preventiva do assassino. Foi o segundo feminicídio deste ano em São Nicolau. No primeiro caso, que aconteceu em abril, o acusado está foragido.

Brum afirmou que os dados preocupam. “São números que nos preocupam e que a comunidade de São Nicolau deve se preocupar também”, argumentou. “As mulheres não podem morrer por não querer manter suas relações”, explicou.

O velório de Natiele ocorre na capela São Roque. O sepultamento será à tarde, com cortejo fúnebre e manifestação organizada por mulheres. Vestidas de preto, elas irão acompanhar a pé para chamar a atenção da comunidade sobre as violências sofridas pelas mulheres.

Autora: Amanda Lima

Fonte: Rádio Missioneira

 


Copyright 2018 ® - Todos os direitos reservados