Em Brasília, prefeitos da AMM se reúnem com ministro dos Transportes e Valec em prol da ferrovia na região

A luta da Associação dos Municípios das Missões para a inclusão da região no traçado da Ferrovia Norte-Sul continua. Nos dias 11 e 12 de março, um grupo de prefeitos missioneiros se reuniu, em Brasília, com o ministro dos Transportes, Cesar Borges e o diretor de Planejamento da Valec, Sergio Lobo, para reiterar a importância da inclusão da região das missões na reativação do transporte ferroviário, tanto para o transporte de cargas quando de passageiros. O ministro Cesar Borges não adiantou o resultado do levantamento, mas garantiu que a Valec Engenharia já finalizou os estudos, e que serão contempladas as regiões que tiverem mais transporte de carga, pois a decisão será técnica e econômica. Com isso, só dentro de dois meses, em maio, é que será anunciado o trajeto da ferrovia, e se alguns dos ramais ferroviários das missões serão reativados. Posteriormente, ocorrerá a abertura do processo público de concessão da ferrovia, com chamamento para as empresas interessadas. No encontro com os prefeitos missioneiros, o ministro Cesar Borges evidenciou a importância da malha ferroviária cortar o Brasil de Norte a Sul e que, em outra lógica de desenvolvimento, a ferrovia vai permitir um novo desenvolvimento econômico nas diferentes regiões por onde o trem passar.

Trem de cargas e de passageiros

O ministro dos Transportes elogiou a iniciativa das lideranças missioneiras ressaltando que "o gaúcho é um povo empreendedor, forte em suas lutas", e citou como exemplo a mobilização da AMM pela causa da ferrovia Norte-Sul. Cesar Borges foi receptivo e manifestou interesse em conhecer a região das missões, "onde se começou este processo de construção de uma sociedade jesuítica, que deixou marcas no estilo cooperativo, solidário e empreendedor dos missioneiros". Para o ministro, onde houver trem de carga, existirá também a possibilidade do transporte de passageiros, que seria uma forma de alavancar o turismo. "Se tiver o trem carga não terá nenhum problema, porque os trilhos estarão prontos e economicamente haverá espaço do transporte para os turistas", acrescentou. Desta forma será viabilizada a produção de grãos e expansão do turismo.

Busca coletiva pelo desenvolvimento regional

O diretor de Planejamento da Valec, Sérgio Lobo, também ressaltou a importância das mobilizações por meio das Associações de Municípios, em especial a AMM. "Sem a união dos municípios, de todo conhecimento cultural e empresarial da região, dificilmente os pleitos são bem sucedidos. A conjugação de esforços locais, com o apoio técnico das empresas que desenvolvem estudos, projetos até a execução das obras, é fundamental para que se tenha sucesso", garantiu o diretor. Representando a AMM participaram das reuniões os prefeitos de Rolador, Paulo Peixoto, de Sete de Setembro, Rosane Grabia, os vice-prefeitos de São Borja, Jeferson Homrich e de Santo Ângelo, Nara Damião, acompanhados pelo deputado federal Eliseu Padilha.

A vice-prefeita de Santo Ângelo, Nara Damião, enfatizou que a região missioneira, com seus 26 municípios, mostrou que tem capacidade de mobilização, independente de ser contemplada com o traçado. "Estamos na expectativa de resultados positivos, mas de qualquer forma nossa região teve voz, presença e deixará sua marca como uma região organizada na busca coletiva do desenvolvimento regional", completou.

O início da luta pelo traçado missioneiro

Em setembro do ano passado na assembleia mensal da AMM, o vice-prefeito de São Borja, Jeferson Homrich apresentou a proposta da inclusão de um traçado missioneiro nos estudos de viabilidade da Ferrovia Norte-Sul. O presidente da AMM, prefeito René Nedel, aprovou a solicitação, conjuntamente com os demais prefeitos da Associação e formou a comissão integrada pelos prefeitos de Giruá, Fabiam Thomas, de São Luiz Gonzaga, Junaro Figueiredo, além dos vice-prefeitos de São Borja, Jeferson Homrich e de Santo Ângelo, Nara Damião, para coordenar o processo. A partir daí, foi elaborado um material com levantamento dos dados econômicos e potencialidades dos 26 municípios e da região das missões, que foi entregue para diversas lideranças e autoridades locais, regionais, estaduais e federais.

A comissão de trabalho da AMM estabeleceu um cronograma de ações para consolidar a iniciativa. Os prefeitos integrantes da comissão visitaram rádios nas missões e em outras regiões, explicando para a população sobre a importância da iniciativa para o fortalecimento da economia dos municípios e da região missioneira. Também se reuniu com prefeitos e presidentes das Associações de Municípios da região da Grande Santa Rosa, de Cruz Alta e de Ijuí, além de participar de audiências públicas sobre a ferrovia, em Porto Alegre e Santa Maria. O dirigente da Associação, prefeito de Cerro Largo, René Nedel, sempre apoiou e acompanhou os demais prefeitos em todas as ações em favor da viabilização da ferrovia da região missioneira.

Nova vida para os ramais ferroviários nas missões

Em novembro de 2013, na sede da Associação dos Municípios das Missões, aconteceu a audiência pública em favor do traçado missioneiro. O evento reuniu mais de 200 pessoas, entre elas, representantes de Brasília, da Valec Engenharia; deputados federais e estaduais; presidentes de Associações de Municípios; de universidades; estudantes; prefeitos; vices; secretários municipais e estaduais; vereadores; comunidades, entre outras expressivas lideranças. No encontro, foi elaborada a Carta Missioneira explanando a importância econômica da ferrovia para a região.

O vice-prefeito de São Borja, Jeferson Homrich, fez questão de demonstrar o contentamento com o avanço da luta da AMM. "Conseguirmos nos reunir com o ministro dos Transportes e com o diretor de Planejamento da Valec representa o reconhecimento do esforço conjunto de todos os municípios da AMM, na viabilização de uma ação que trará o fortalecimento da economia local e regional, além do crescimento do turismo missioneiro. Continuaremos atuantes, na expectativa de dar uma nova vida aos ramais ferroviários da região", assegurou ele.

Ponte Internacional de Porto Xavier

Na audiência com o ministro dos Transportes, a comitiva da Associação dos Municípios das Missões (AMM), também pediu atenção especial para outro pleito de extrema relevância para a região missioneira que é a viabilização da ponte internacional no município de Porto Xavier, de forma a ligar a região com a Argentina, o que atualmente é feita só de balsa, dificultando o transporte de cargas pesadas. Em nome do prefeito de Porto Xavier, Paulo Sommer e da comissão pró-ponte, a comitiva da AMM mostrou a importância econômica da obra para o desenvolvimento da região, que empobreceu muito nos últimos anos e perdeu população. Por isso, a necessidade desta viabilidade logística, considerando que a região das missões faz contato direto com os países do Mercosul, em especial com a Argentina. O ministro Cesar Borges disse que vai continuar acompanhando o processo de perto e, posteriormente, em nova audiência, o assunto voltará a ser tratado.