logo-nova

Rádio Online

Clique e confira

(55) 3352-4141

Fale conosco!

Rua Júlio de Castilhos 2236, Centro, São Luiz Gonzaga, RS

Campanhas de Multivacinação e contra a Poliomielite iniciam na segunda-feira

Compartilhe!

Mobilizações seguem até 9 de setembro, sendo 20 de agosto o Dia D de vacinação  

Na segunda-feira, 8 de agosto, inicia mais uma edição da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e da Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da caderneta de vacinas dos menores de 15 anos de idade.  

As mobilizações seguem até o dia 9 de setembro, sendo 20 de agosto o Dia D de divulgação e mobilização das campanhas. Na data, será promovida pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) a “Festa da Vacina”, com a instalação de brinquedos infláveis e a promoção de atividades lúdicas para as crianças que serão imunizadas no dia.    

CAMPANHA NACIONAL DE MULTIVACINAÇÃO 

A Campanha Nacional de Multivacinação é uma estratégia para atualizar a situação vacinal das crianças e adolescentes até 14 anos, 11 meses e 29 dias. A coordenadora do Centro de Saúde, a enfermeira Águeda Balbé, pede o apoio da população nas mobilizações. “A ação somente terá êxito se os pais ou responsáveis levarem a criança ou adolescente na unidade de saúde onde ocorrem as vacinas de rotina, apresentando o cartão SUS e a carteira de vacinação. Nesse momento, será verificada a situação vacinal da criança ou adolescente e realizadas as vacinas sempre que necessário”.  

A enfermeira também destaca a importância de informar sobre o vírus do sarampo, o qual está circulando novamente no Brasil, causando a doença em crianças não vacinadas ou com esquema vacinal incompleto. Os sintomas leves do sarampo são tosse, coriza, infecção conjuntival, febre e erupção na pele. Entre as complicações graves que podem ocorrer, a mais comum é a pneumonia bacteriana e complicações neurológicas.  

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A POLIOMIELITE 

Todas as crianças de 1 ano a menores de 5 anos serão imunizadas com a vacina oral contra a Poliomielite. A gotinha evita que a paralisia infantil retorne ao Brasil, evitando que as crianças fiquem doentes e com limitações físicas irreversíveis. “Para evitar doenças como as citadas anteriormente, é importante manter taxas altas e homogêneas de coberturas vacinais. Só assim vamos ter crianças protegidas das doenças evitáveis por meio dos imunizantes”, ressalta Águeda.  

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Luiz Gonzaga com informações da SEMSA  

Foto: Divulgação / Conasems, Conass, CNS e OPAS/OMS 

IMPORTANTE: Não autorizamos a reprodução de conteúdo em outros sites, portais ou em mídia impressa, salvo sob autorização expressa.