Audiência pública debateu situação dos córregos em São Luiz Gonzaga

Após solicitação do vereador Jose Luiz Terra Vieira, ocorreu nesta sexta-feira (16) audiência pública para debater situação de córregos e sangas a céu aberto no município de São Luiz Gonzaga. O vereador Clóvis Henrich da Veiga coordenou a sessão, com auxilio da vereadora Eni Araújo Malgarim. Também integraram a mesa o Deputado Estadual Jeferson Fernandes, Vice-Prefeito Mário Trindade, Gerente da Unidade da CORSAN de São Luiz Gonzaga Sandro Réus e Superintendente Regional da CORSAN Almir José Ludwig Osmari.

 

Foram convidados para tomar lugar junto ao Plenário os secretários municipais: Itamar Batista Chagas, Révis Moura, Luiz Carlos Karnicowskc e Aldimar Pereira Machado e o senhor João Cori superintendente regional da CORSAN. Acompanharam o encontro os vereadores: Enderson Rocha do Morais, Paulo Cesar Trindade Garcia, José Luiz Terra Vieira e Adão Schmitz da Silva.

 

O plenário do legislativo se manteve lotado com a presença da comunidade, autoridades, representantes de entidades e secretários municipais. Inicialmente o superintendente da CORSAN, Almir José Ludwig Osmari, explanou sobre as competências da estatal. Com o espaço disponível para questionamentos e opiniões, manifestaram-se: Luiz Fernando da Silva, Paulo Pereira de Matos, Roseli Kovaleski, Paulo César Trindade Garcia, Eni Araújo Malgarim, Waldomiro, Sidney Medina, Enderson Rocha e Morais, Carlos Sidney Ferreira, José Luiz Terra Vieira, Major Maders – Comandante do 14º BPM, Osmar Severo, Plinio Ferreira e Emerson Marques de Matos. Os quais receberam esclarecimentos dos representantes da administração municipal, assim como, dos dirigentes da estatal. Sandro Réus, gerente local da CORSAN e João Cori, superintendente regional da CORSAN também utilizaram a tribuna.

 

O vereador Jose Luiz Terra Vieira, proponente da audiência, conclui que a mesma foi de suma importância, pois esclareceu pontos importantes. Sendo que os córregos “sangas”, em sua maioria integram áreas de preservação permanente, APPs. Segundo o vereador, existe uma legislação vigente que proíbe essa canalização. Porém, o mau cheiro e a falta de cuidados prejudicam os moradores próximos a esses locais.

 

Então, conclui-se que os órgãos competentes realizarão estudos específicos, para verificar a possibilidade de canalização, quando não sendo uma APP. Do contrário, serão tomados cuidados permanentes de limpeza nestas áreas. O vereador ao fim do encontro deixa outro questionamento referente às sangas em formato de “zig-zag”, localizadas em terrenos com leve declínio. O vereador alerta, sobre a possibilidade de evasão de água que as mesmas podem sofrer, decorrente da falta de manutenção das mesmas.