logo-nova

Rádio Online

Clique e confira

(55) 3352-4141

Fale conosco!

Rua Júlio de Castilhos 2236, Centro, São Luiz Gonzaga, RS

Audiência pública debateu situação dos córregos em São Luiz Gonzaga

Compartilhe!

Após solicitação do vereador Jose Luiz Terra Vieira, ocorreu nesta sexta-feira (16) audiência pública para debater situação de córregos e sangas a céu aberto no município de São Luiz Gonzaga. O vereador Clóvis Henrich da Veiga coordenou a sessão, com auxilio da vereadora Eni Araújo Malgarim. Também integraram a mesa o Deputado Estadual Jeferson Fernandes, Vice-Prefeito Mário Trindade, Gerente da Unidade da CORSAN de São Luiz Gonzaga Sandro Réus e Superintendente Regional da CORSAN Almir José Ludwig Osmari.

 

Foram convidados para tomar lugar junto ao Plenário os secretários municipais: Itamar Batista Chagas, Révis Moura, Luiz Carlos Karnicowskc e Aldimar Pereira Machado e o senhor João Cori superintendente regional da CORSAN. Acompanharam o encontro os vereadores: Enderson Rocha do Morais, Paulo Cesar Trindade Garcia, José Luiz Terra Vieira e Adão Schmitz da Silva.

 

O plenário do legislativo se manteve lotado com a presença da comunidade, autoridades, representantes de entidades e secretários municipais. Inicialmente o superintendente da CORSAN, Almir José Ludwig Osmari, explanou sobre as competências da estatal. Com o espaço disponível para questionamentos e opiniões, manifestaram-se: Luiz Fernando da Silva, Paulo Pereira de Matos, Roseli Kovaleski, Paulo César Trindade Garcia, Eni Araújo Malgarim, Waldomiro, Sidney Medina, Enderson Rocha e Morais, Carlos Sidney Ferreira, José Luiz Terra Vieira, Major Maders – Comandante do 14º BPM, Osmar Severo, Plinio Ferreira e Emerson Marques de Matos. Os quais receberam esclarecimentos dos representantes da administração municipal, assim como, dos dirigentes da estatal. Sandro Réus, gerente local da CORSAN e João Cori, superintendente regional da CORSAN também utilizaram a tribuna.

 

O vereador Jose Luiz Terra Vieira, proponente da audiência, conclui que a mesma foi de suma importância, pois esclareceu pontos importantes. Sendo que os córregos “sangas”, em sua maioria integram áreas de preservação permanente, APPs. Segundo o vereador, existe uma legislação vigente que proíbe essa canalização. Porém, o mau cheiro e a falta de cuidados prejudicam os moradores próximos a esses locais.

 

Então, conclui-se que os órgãos competentes realizarão estudos específicos, para verificar a possibilidade de canalização, quando não sendo uma APP. Do contrário, serão tomados cuidados permanentes de limpeza nestas áreas. O vereador ao fim do encontro deixa outro questionamento referente às sangas em formato de “zig-zag”, localizadas em terrenos com leve declínio. O vereador alerta, sobre a possibilidade de evasão de água que as mesmas podem sofrer, decorrente da falta de manutenção das mesmas.

IMPORTANTE: Não autorizamos a reprodução de conteúdo em outros sites, portais ou em mídia impressa, salvo sob autorização expressa.