Anúncio sobre ponte internacional e traçado da ferrovia Norte-Sul deve sair em dezembro

Compartilhe!

Qualquer decisão, tanto sobre a escolha do local da construção da ponte internacional Brasil/Argentina quanto do traçado definitivo da ferrovia Norte-Sul, e a possível inclusão de um roteiro missioneiro, só será anunciada pelo governo federal em dezembro. Esta foi a notícia que os prefeitos das Missões ouviram em Brasília do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos e do diretor Executivo do Dnit, Tarcísio Gomes de Freitas, na reunião que aconteceu no Ministério na terça-feira, dia 15 de julho.

Mais de 30 pessoas, entre prefeitos, deputados federais e estaduais, senadores, imprensa e outras lideranças, participaram da audiência. O encontro, que durou mais de uma hora, serviu para o ministro dos Transportes e o diretor-geral do Dnit atualizarem os representantes gaúchos sobre o andamento dos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) dos dois projetos.
Sobre a ferrovia, o ministro Paulo Sérgio Passos explicou que um dos motivos na demora da divulgação dos resultados dos estudos técnicos, está relacionado ao trabalho rigoroso que está sendo feito para amenizar os riscos de engenharia.

Apoio da bancada gaúcha
Os trabalhos foram conduzidos pelo coordenador da bancada gaúcha na Câmara, deputado federal Ronaldo Zulke. A senadora Ana Amélia Lemos, o presidente da Famus, Seger Menegaz, deputados federais, estaduais e prefeitos de diferentes partidos, se uniram para juntos pressionarem agilização do governo federal, na divulgação do resultados do EVTEA da ferrovia e da ponte. Na audiência, a deputada estadual Zilá Breitembach representou a Assembleia Legislativa.

Os 26 municípios missioneiros que congregam a Associação dos Municípios das Missões (AMM) estavam representados por prefeitos que integram as comissões pró-ponte internacional Porto Xavier/San Javier e ferrovia Norte-Sul. Além do presidente da Associação e prefeito de São Luiz Gonzaga, Junaro Rambo Figueiredo, participaram os prefeitos de Porto Xavier, Paulo Sommer, de Sete de Setembro, Rosane Grabia, e de Santo Ângelo, a vice-prefeita Nara Damião. Não puderam estar presentes, mas também fazem parte das comissões da AMM os prefeitos de Cerro Largo, René Nedel, de Giruá, Fabiam Thomas e o vice-prefeito de São Borja, Jefferson Homrich.

Junaro Rambo Figueiredo destacou que "a construção da ponte em Porto Xavier assim como a inclusão de um traçado missioneiro da ferrovia Norte-Sul vão fomentar o desenvolvimento econômico não apenas na região das Missões, mas também no Estado e no país".
O presidente da AMM ressaltou a importância em somar esforços para consolidar ações. "Com o apoio da bancada gaúcha e também da Famurs, nossa mobilização ganhou força na luta para viabilizar os dois pleitos", enfatizou ele. Na audiência, Junaro Rambo Figueiredo fez um apelo ao ministro, em nome da Associações dos Municípios das Missões, para que ainda em 2014 seja divulgado o resultado dos estudos.

Ausência do Governo do Estado
Os prefeitos missioneiros lamentaram a falta de representantes do governo gaúcho em um momento tão importante para a região e para o próprio Estado. "Independente do local escolhido para a construção da ponte internacional Brasil/Argentina, entendemos que o governo estadual deveria se engajar nessa luta. Embora a decisão seja do governo federal, se tivermos o Estado como aliado, sem dúvida, nossa mobilização será fortalecida", pontuou o prefeito Paulo Sommer, que também é vice-presidente da Associação.

Prefeito de Porto Xavier, Sommer, que há três anos vem participando de reuniões na Capital federal sobre o tema, está otimista depois do encontro de terça-feira. "Agora temos o comprometimento do ministro dos Transportes de que o anúncio do estudos técnicos sai em dezembro. Continuamos confiantes de que nossa região será escolhida como melhor local para construção da ponte", evidenciou o vice-presidente da Associação ao lembrar: "a obra deve custar em torno de 20 milhões de dólares, valor considerado baixo, comparado aos benefícios para a população".

Reunião em Buenos Aires
Depois de ouvir das autoridades federais sobre a nova data para anúncio da escolha do local da construção da ponte internacional, o deputado federal Luiz Carlos Heinze, em comum acordo com a bancada gaúcha, Famurs, e demais participantes, sugeriu que a próxima reunião para tratar da questão seja em Buenos Aires, e antes de dezembro. O objetivo é a relação diplomática entre os dois países para um acordo político sobre custos, e empresas que farão os serviços de execução da obra.

A proposta foi aceita pelo diretor-geral do Dnit, Tarcísio Gomes de Freitas, que deu seguimento à reunião após a saída do ministro para outro compromisso, com data ainda a ser definida. Conforme estabelecido na audiência, devem participar do encontro em Buenos Aires representantes técnicos dos governos brasileiro e argentino, do Itamarati, deputados, Famurs e prefeitos das regiões que serão beneficiadas pela construção da ponte internacional.