Ação de Heinze evita incentivos do governo para importação de trigo

A sala de reuniões da Câmara de Comércio Exterior – Camex – no sétimo andar do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC – em Brasília, testemunhou, na última quinta-feira, 22, as ações empreendidas pelo deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) para evitar que o governo concedesse estímulos à importação de trigo.

O Conselho de Ministros atendeu aos apelos do parlamentar gaúcho e retirou de pauta o item que previa a isenção da Tarifa Externa Comum – TEC – aplicada na compra de trigo de países que não compõem o Mercosul. A alíquota atual está fixada em 10%.

Em nota, a Camex, não descarta a possibilidade de analisar a redução da tarifa, porém, deve impor um limite para quantidade importada e de acordo com o comportamento do mercado brasileiro. “É uma boa notícia aos triticultores que já visualizavam significativa queda nos preços ofertados. Pelo menos 800 mil toneladas do trigo produzido no país, ainda estão disponíveis para comercialização. A manutenção da TEC freia qualquer especulação e traz mais tranquilidade aos produtores nas negociações de venda do trigo”, diz Heinze.

Na safra passada, o triticultor enfrentou quase oito meses de importação sem a cobrança da TEC. A decisão prejudicou os produtores brasileiros e a própria economia dos municípios onde as lavouras estão inseridas. Em 2013, as importações de trigo somaram mais de 7 milhões de toneladas.