32ª CRE participa de Encontro de Famílias Rurais

Ocorreu nesta quarta-feira (30) nas dependências da E.T.E. Achilino de Santis em Santo Antônio das Missões, o Encontro de Famílias Rurais. Nem mesmo a chuva impediu que mais de 200 pessoas, das 15 comunidades convidadas, se reunissem para refletir sobre a realidade dos agricultores do município.

Pela manhã, os presentes foram recepcionados pelo vice-diretor da escola Achilino, professor Clairton Folk Robalo e o Coordenador Regional de Educação da 32ª CRE, professor Ayrton Ávila da Cruz, que destacou a necessidade de realizar eventos como este, proporcionando o encontro dos agricultores, que são à base de toda a sociedade. Como ex-aluno e ex-professor da escola Achilino, o Coordenador salientou a importância de escolas que formam com qualidade os filhos dos trabalhadores rurais, sem precisar afasta-los do campo e do convívio familiar. “Estamos reestruturando e fortalecendo as escolas do campo, para que cada vez mais a comunidade rural tenha uma educação com qualidade social” finaliza.

Para o vice-diretor Clairton, é interessante reunir a família dos alunos e dos ex-alunos da instituição de ensino Achilino de Santis em um dia de discussões e preocupações sobre o meio rural, com a geração de renda, trabalho e educação. Ainda pela manhã, ocorreram apresentações artísticas e uma palestra ministrada por Jorge Lunardi, que abordou o tema “sustentabilidade e o mundo rural”.

Na ocasião, o estudante do ensino médio técnico em Agropecuária, Wiliam Barcelos e os ex-alunos da escola Achilino de Santis, Eduardo Santos Marques e Maria Silmar Barcelos relataram o trabalho realizado na propriedade de suas famílias e a razão de permanecerem trabalhando no campo. Ao ser questionado sobre a permanência do jovem no meio rural, Wiliam afirmou que é possível ser feliz no campo tanto quanto na cidade, seguindo o exemplo dado por seus pais. Já Eduardo comentou que seu desejo é estudar, entrar para a faculdade e se possível, voltar para trabalhar na propriedade da família. Já Maria Silmar contou sua experiência de morar na cidade, e como a rotina corrida dos centros urbanos não permitia que ela visitasse a família, decidindo voltar ao campo. Ao meio-dia foi servido o almoço aos presentes, no valor simbólico de R$ 1,00.

No período da tarde, foram realizadas oficinas práticas com temas referentes ao meio rural (como irrigação, uso de agrotóxicos, agroindustrialização, entre outros), atividades culturais e dinâmicas de grupo. Antes do encerramento oficial, foi realizado um “escambo” onde os agricultores trocaram entre si, diversos produtos trazidos de suas comunidades.

O evento teve a organização de diversos setores ligados ao meio rural.