logo-nova

Rádio Online

Clique e confira

(55) 3352-4141

Fale conosco!

Rua Júlio de Castilhos 2236, Centro, São Luiz Gonzaga, RS

Governo Federal afirma que 72% das estradas federais gaúchas “estão boas”

Compartilhe!

A qualidade da malha viária federal no Rio Grande do Sul passou de 57% para 72,5% de estradas consideradas em boas condições para o tráfego. O salto de 16 pontos percentuais no Índice de Condição da Malha Rodoviária (ICM), medido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em dezembro de 2023, foi possível graças ao empenho do Governo Federal em retomar os investimentos no setor.
Atualmente, 3,5 mil quilômetros das estradas federais que cortam o território gaúcho atendem aos requisitos de pavimentação, manutenção e conservação para serem considerados bons. Em dezembro de 2022, a extensão de rodovias em boas condições era de 2,7 mil quilômetros. O Rio Grande do Sul também teve uma redução de pontos considerados críticos nas estradas federais: o ICM péssimo passou de 16% para 1%, antecipando uma das metas do Ministério dos Transportes em eliminar os pontos críticos na malha viária.
“Para 2024, queremos alcançar 80% das rodovias em boas condições em todo o Brasil. Já atingimos um ponto de inflexão importante neste primeiro ano, ao assumirmos o governo cheio de contratos de manutenção paradas. Agora é o momento de avançar e garantir que os brasileiros tenham mais segurança viária para trafegar e mais celeridade no escoamento da produção”, afirmou o ministro dos Transportes, Renan Filho.

Região Sul
Em dezembro de 2022, 46% das rodovias federais da Região Sul eram consideradas boas, o que representa pouco mais de 5 mil quilômetros de estradas, somados os três estados da região. Um ano após o início da atual gestão do Executivo Federal, o índice total passou para 71%, ou mais de 7,4 mil quilômetros de malha boa, enquanto as estradas consideradas ruins ou péssimas passaram a menos de mil quilômetros — de 22,5% para 9,3% do total.

Realidade da BR-285 é diferente na Região das Missões

Principal rodovia da Região das Missões, a BR-285 tem uma realidade bem diferente das boas condições apontadas pelo estudo do Governo Federal. As reclamações de motoristas são constantes e apontam trechos com buracos e ondulações na pista, além de pontos sem acostamento e a necessidade de rotatórias em acessos aos municípios.

A situação precária das rodovias BR-285 e ERS-168 foi inclusive tema de reportagem feita pela equipe de jornalismo da Rádio Missioneira, publicada no último dia 24 de janeiro. São inúmeros os relatos de prejuízos em veículos dos usuários das duas estradas causados pela má conservação e também muitos os acidentes fatais (foto) que poderiam ser evitados com a instalação de rotatórias e redutores de velocidade.

A estrada estadual passou na última semana por uma operação tapa-buracos no trecho entre os municípios de São Luiz Gonzaga e Roque Gonzales. Já o Dnit divulgou recentemente um mutirão de obras em diversas rodovias federais no Estado, mas não incluiu nos trabalhos o trecho da BR-285 que passa pela Região das Missões.

Fonte: DNIT

IMPORTANTE: Não autorizamos a reprodução de conteúdo em outros sites, portais ou em mídia impressa, salvo sob autorização expressa.