Em Santiago a cooperativa deu início a tratativas para construção de um Centro Agropecuário

Foto: Nivaldo Maciel/Rádio Missioneira - Fonte: Rádio Missioneira - Autor: Robson Gomes
13 Abril 2018 07:04:47

A Coopatrigo já recebeu um total de 5 milhões de sacas de soja.  Em virtude da demanda crescente e da gestão expansionista - que apresenta êxito nos direcionamentos - a cooperativa deve realizar diversos investimentos em toda a região.

De acordo com o presidente Ivo de Souza Batista, que falou ao Jornal da Manhã, a direção, conselheiros, técnicos e gerentes participam dos debates a cerca do planejamento dos novos investimentos. Em Santo Antônio das Missões a cooperativa instalará uma nova balança rodoviária de 25 metros, e dois elevadores. O Objetivo é melhorar o fluxo e agilizar o processo na unidade de recebimento de grãos.

Já em São Gregório, que conta com três silos de 75 mil sacas, a demanda por mais espaço também é crescente, a modo que pensasse em instalar mais um silo de 75 mil sacas. Rolador também irá receber os investimentos. Na localidade será disponibilizado além de máquina de limpeza, uma nova balança, elevadores, moega, casa de máquinas e tombador.

No município de Caibaté pensasse em instalar um silo de 75 mil sacasa de capacidade. Outro município que recebe grãos sucessivamente em demanda crescente, é São Nicolau. Com o quadro promissor, o objetivo é instalar um silo que tenha capacidade de armazenar 100 mil sacas. E não para por ai, de acordo com Ivo, São Luiz Gonzaga pode ter dois novos silos, também de 75 mil sacas cada.

Centro Agropecuário

Além disso, uma das apostas é em Santiago. Ivo afirmou que o município é o maior na área de abrangência da cooperativa e que os mesmo apresenta ótimos resultados. Com isso se estuda a instalação de silo na cidade.  

Além disso, a Coopatrigo deu início a tratativas com o prefeito de Santiago, Tiago Gorski, para a instalação de um Centro Agropecuário. O centro deve ser semelhante ao de São Luiz Gonzaga. O presidente declarou que o Tiago foi decisivo e atendeu a reivindicação. A administração municipal irá contribuir com o licenciamento ambiental e também no processo de terraplanagem. No momento, os técnicos da cooperativa avaliam as localidades em Santiago que podem receber o centro, para então adquirir o terreno. Ivo destacou que todos os investimentos são planejados e estudos para assim potencializar os resultados.

 



Galeria da Notícia

flicker

Facebook