Afirmou que não defende Lula, porém enfatizou que é preciso apresentar provas concretas

Foto: Arquivo/Rádio Missioneira - Fonte: Rádio Missioneira - Autor: Robson Gomes
13 Julho 2017 10:07:16

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. No Jornal da Manhã de hoje (13), o vereador José Luiz Vieira Terra (P), falou a respeito da condenação.

Declarou que em sua opinião, a condenação foi por suspeisão, o que é reflexo de uma armação. Defendeu que a ex-presidente Dilma Rouseff (PT), foi  eleita democraticamente e que também não houve provas concretas contra ela por desvio der dinheiro público.

O vereador destacou que contra o governo atual há diversas provas, entre elas áudios e ações conduzidas, como o caso do deputado aliado a Temer que recebeu dentro de uma mala, propina avaliada em R$ 500 mil. José Luiz afirmou que apesar das provas, os envolvidos não são indiciados  e o presidente Michel Temer continua no cargo. O vereador chamou as deliberações da justiça sobre esses casos, de "brincadeira com a nação".

Afirmou que não defende Lula, porém enfatizou que é preciso apresentar fatos e provas concretas para sentenciá-lo. Argumentou que parlamentares fizeram o possível para culpar o PT pela situação em que o país se encontra. Conforme José Luiz, a fome voltou a assolar as pessoas, bem como a educação também já sente reflexos da instabilidade do governo e de suas deliberações.

O vereador também salientou que não é possível admitir que os políticos flagrados não sejam punidos, e indagou onde estão os movimentos e chamados "batedores de panela".  Apontou por fim, que as reformas propostas só são aprovadas porque o voto dos deputados foram comprados.

 



Galeria da Notícia

flicker

Facebook