Veterinários passaram por treinamento teórico e prático em abril

Foto: Divulgação - Fonte: Rádio Missioneira, com informações de Daniel Holanda - Autor:
12 Maio 2017 05:05:53

Os veterinários das Inspetorias de Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado do RS (SEAPI/RS) que fazem parte da Regional de São Luiz Gonzaga realizaram no mês de abril um treinamento para atendimento a notificação de doenças vesiculares. As atividades fazem parte do projeto piloto de Sistema de Vigilância Ativa para Febre Aftosa no Rio Grande do Sul. A primeira região do estado que vai começar a ação será a Regional de São Luiz Gonzaga, a qual é constituída de 28 municípios.

O treinamento teórico ocorreu no auditório da Câmara de Vereadores de Santiago e a parte prática na Fazenda Paglioli em Itacurubi, ambos ministrados pelas veterinárias Grazziane Rigon e Lucila Carboneiro, coordenadoras do Programa de Prevenção da Febre Aftosa da SEAPI no RS.

O sistema de vigilância para a febre aftosa no Rio Grande do Sul seguirá de modo sistematizado, através da realização de inspeções clínicas em bovinos e da vigilância epidemiológica. O enfoque será nas áreas de maior risco, definidas através da análise de decisão por múltiplos critérios, descrita em estudo realizado pelo Dr. Diego Viali, auditor fiscal federal agropecuário do MAPA, em 2016.

Todos os 28 municípios da Regional de São Luiz Gonzaga terão propriedades sorteadas e será realizada inspeção clínica e, se necessário laboratorial, para doenças vesiculares durante todo o ano. É importante que o Serviço Veterinário Oficial esteja constantemente treinado e atuante para reduzir ao máximo o risco da entrada de doenças em território gaúcho, principalmente daquelas de que o Estado é livre. É o caso da febre aftosa, e caso venha a ocorrer, para detectar precocemente, evitando assim a disseminação e um grande impacto econômico e social.

Além disso, cabe ressaltar que os produtores têm papel fundamental na vigilância de doenças vesiculares. Ao observar sinais como animais babando, mancando ou com feridas na boca, patas e/ou úbere, deve comunicar imediatamente a Inspetoria de seu município sempre que observar, mesmo que não seja o proprietário.

O treinamento foi organizado pelo veterinário Daniel Holanda, referência do Grupo Técnico de Febre Aftosa da SEAPI/RS na Regional de São Luiz Gonzaga. A atividade contou com o apoio dos veterinários Marco Morales de Santiago e Régis Scaramussa de Porto Xavier, do Técnico Agrícola Orimar Rigon de Itacurubi e da 17° Supervisão da Agricultura da SEAPI/RS.

A SEAPI/RS agradece a disponibilidade e apoio da Câmara de Vereadores de Santiago e ao Dr. Andre Paglioli pela disponibilização da fazenda e dos animais para realização do treinamento prático.



Galeria da Notícia

flicker

Facebook