Envie agora seu recado!

200
caracter(es) restante(s)

Notícias

EXPODIRETO – 2014 - Emater/RS-Ascar mostra seu lado social na Expodireto
17 de fevereiro de 2014 às 07:41

Executora de políticas públicas, ao longo de 59 anos, a Emater/RS-Ascar vê ameaçada sua condição de Entidade Filantrópica. Motivo que a faz levar para o espaço que lhe foi reservado na 15ª Expodireto o tema: A Emater/RS-Ascar é Social.

Nada será vendido no espaço ocupado pela Emater/RS-Ascar, pois o maior Valor em exibição é o Conhecimento.
No espaço da Família Rural, localizado em uma das extremidades do Parque da Expodireto, a Emater/RS-Ascar apresenta inovações e soluções para alguns dos principais entraves ao desenvolvimento produtivo e social do Rio Grande do Sul. São projetos, programas e tecnologias ligados à produção de energia, ao abastecimento de grãos, e à produção e agroindustrialização de alimentos para o abastecimento de famílias rurais e para a venda em escala comercial.

Em 2014, ano escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para ser o Ano Internacional da Agricultura Familiar, a 15ª Expodireto, que se realiza de 10 a 14 de março, em Não-Me-Toque, reafirma o compromisso de levar desenvolvimento tecnológico, econômico e social para o pequeno agricultor.

As matérias-primas mais nobres da indústria gaúcha têm origem na agricultura familiar: carne, leite, grãos, frutas, cana e madeira. O trabalho produzido pelos agricultores familiares responde por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul. Devido à importância econômica e social da Agricultura Familiar no RS, a Cotrijal Cooperativa Agropecuária e Industrial (Cotrijal) e a Emater/RS-Ascar, parceiras há mais de uma década, juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), levam ao Espaço da Família Rural o conceito de que o campo é um lugar produtivo, onde as comunidades constroem laços afetivos, plantam e colhem riquezas.

Parcelas
Energia solar e energia produzida pela biomassa das florestas, políticas públicas, assistência técnica, abastecimento, saúde, cultura, lazer, tecnologia, informação, produção limpa de alimentos, processamento de pescado, agroindústria, serão apresentados em 10 parcelas no espaço da Emater/RS-Ascar na Expodireto.

Florestas Comerciais
A questão energética, amplamente discutida na sociedade, e seus efeitos negativos no bem-estar e na economia, agravados pelo excesso de consumo, é um problema real, que desafia o Brasil a apresentar respostas. Na Parcela Florestas Comerciais, a Emater/RS-Ascar dará ênfase aos benefícios gerados pela atividade florestal, atuando na variação climática, na temperatura, no ciclo das águas, na circulação e purificação do ar, além de reabilitar áreas degradadas, produzir medicamentos e contribuir para a biodiversidade do planeta.

“Hoje, o Brasil tem na energia renovável ao redor de 12,5 % vindo da biomassa florestal e o Rio Grande do Sul, ao redor de 14%. Como fonte energética da madeira temos a lenha, o carvão, o cavaco, o briquete e os pellets, modelos mais avançados e com poder calorífico concentrado. De toda a madeira usada no Brasil, ao redor de 350 milhões m³ ao ano, próximo a 50% tem seu destino voltado para a produção de energia. Energias de biomassa florestal, eólica e solar são energias limpas para o futuro”, disse o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Ilvandro Barreto de Melo, um dos responsáveis pela Parcela Florestas Comerciais.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Brasil é o segundo país do mundo a ter a maior área florestal. O território brasileiro possui 851 milhões de hacom área florestal total de 516,6 milhões de ha, o que dá uma proporção da área florestal em relação à área total do país de 60,7 %. Aárea florestal por habitante é de 2,7 ha. A área de florestas naturais ocupa 509,8 milhões de ha e a área de florestas plantadas 6,8 milhões de há.

O setor florestal no Brasil gera 4,4 milhões de empregos, sendo 0,6 milhão de forma direta, 1,4 milhões indiretos e 2,4 milhões resultantes do efeito renda. O desempenho econômico do setor de florestas plantadas no Brasil em 2012, gerou um Valor Bruto de Produção de R$ 56, 3 bilhões de reais e uma arrecadação de tributos na casa dos R$ 7,5 bilhões de reais, o que representa 0,48% da arrecadação nacional. (Abraf 2013)

Bovinocultura de Leite
O Rio Grande do Sul, segundo maior produtor nacional de leite (mais de 4 bilhões litros/ano), trabalha para manter-se entre os maiores produtores brasileiros. Na parcela Bovinocultura de Leite, a Emater/RS-Ascar dará ênfase ao uso de forrageiras, como alfafa, sorgo, milheto, tyfton, hermátria, e ao manejo do solo. Os experimentos apresentados na Expodireto são empregados em diversas propriedades rurais do Rio Grande do Sul e são fruto de estudos e pesquisas realizados por instituições como a Embrapa e universidades.

A bovinocultura de leite é uma atividade com forte impacto econômico e social e tem se beneficiado de programas municipais e estaduais, como o Leite Gaúcho, coordenado no Estado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR). Até o momento, mais de 84 mil famílias de pequenos agricultores foram beneficiadas pelo Programa. O aporte de recursos destinados a esse Programa atingiu a cifra de R$ 26,6 milhões. Os beneficiários recebem assistência técnica da Emater/RS-Ascar, crédito subsidiado, sementes de forrageiras e financiamento de kits para inseminação.

Secagem e Armazenagem de Grãos
O silo de alvenaria, solução simples e de baixo custo para a secagem e armazenagem de grãos em pequenas propriedades, recebe incentivo da Emater/RS-Ascar. Com modelos de alvenaria que variam de R$ 5 mil a pouco mais de R$ 20 mil, o silo se apresenta como excelente alternativa para o agricultor familiar: cimento, areia, brita, malha de ferro e tijolos maciços são utilizados para erguer a estrutura do silo.

Um moinho colonialde pedra deverá ser instalado neste espaço. O objetivo é mostrar que o grão cultivado na terra e armazenado no silo pode ser transformado em farinha, tudo isso feito na propriedade rural.

Em relação aos demais Estados, a capacidade de estocar grãosdo Rio Grande do Sul é mais confortável. Conforme a Conab, a capacidade estática de armazenamento no Estado ainda é suficiente para abrigar as milhares de toneladas da safra gaúcha.

Piscicultura
A piscicultura é uma atividade difundida em todo o Rio Grande do Sul. Desde o início, mantém-se como uma atividade típica da Agricultura Familiar, sendo uma alternativa para melhorar a qualidade da alimentação e para complementar a renda das famílias que vivem no campo. Na Expodireto, a Emater/RS-Ascar mostra o que tem feito na orientação dos agricultores familiares com objetivo de difundir a piscicultura, desde a produção até o consumo: adubação, alimentação, oxigenação da água, povoamento, plâncton, temperatura, consorciação, abate, corte e mercado.

Horto de Plantas Bioativas
Experiências sociais serão mostradas pelos extensionistas da Emater/RS-Ascar no Horto de Plantas Bioativas, que possui mais de 100 espécies, muitas delas autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem utilizadas no Sistema Único de Saúde (SUS). No local, será dada ênfase a seis dimensões das plantas: antropológica, pedagógica, ecológica, econômica, espiritual e terapêutica.

No Rio Grande do Sul, a Emater/RS-Ascar incentiva a implantação de hortos - domésticos, escolares, comunitários e comerciais -, com o objetivo de auxiliar no reconhecimento, aprendizagem, cultivo e consumo da produção.

Número de Hortos assistidos pela Emater/RS-Ascar em 2013:
6.218 hortos domésticos; 111 hortos comunitários; 186 hortos escolares; 79 hortos comerciais

Turismo Rural
Parceiras, a Emater/RS-Ascar, Secretaria de Turismo do Rio Grande do Sul (Setur) e Consórcio Rota das Terras Encantadas apresentam o roteiro “Voltando ao Passado”, que interliga os sete municípios desse Consórcio: Victor Graeff, Não-Me-Toque, Tapera, Selbach, Ibirubá, Quinze de Novembro e Cruz Alta.

No Espaço Institucional, os três parceiros também divulgarão o Projeto "Vitrine do Turismo Gaúcho", criado pela Setur para mostrar o turismo do Rio Grande do Sul. No palco, montado ao ar livre, passarão diversos grupos culturais do interior do Estado. Além de cultura, a gastronomia será outro ponto forte do segmento turismo, com a degustação de pratos típicos da culinária gaúcha.

Propriedade Sustentável
Sustentabilidade será a palavra de ordem nesta parcela. A começar pela energia, que é solar, gratuita e renovável. O projeto de saneamento utiliza a fossa asséptica, dotada de um sistema de filtros e sumidouro, canalizado para um sistema chamado pelos extensionistas de Círculo de Bananeira – filtro natural biológico e ecologicamente viável. Uma cisterna, também desenvolvida a partir de projeto técnico da Emater/RS-Ascar, faz com que a água da chuva seja conduzida pela calha até um reservatório. Desse modo, a água reservada no período de chuvas pode ser aproveitada no banheiro e para irrigar o pomar e a horta.

Os cuidados com os jardins refletem o bem-estar de quem mora no campo, por isso o ajardinamento também colabora para o conceito de sustentabilidade do cenário. Além disso, uma máquina de descascar mandioca estará em exposição, já que a falta de tecnologia é um dos grandes entraves para a expansão do comércio de mandioca no Estado.
A parcela Propriedade Sustentável está intimamente ligada à da Horticultura e Fruticultura, pois reforça o conceito de sustentabilidade alimentar.

Horticultura e Fruticultura
Mandioca, batata inglesa da linha orgânica, cultivares de batata doce, abóbora, repolho, pepino, alface e cenoura. Essas hortaliças foram escolhidas para reforçar o conceito de sustentabilidade e segurança e soberania alimentar. Na fruticultura, será demonstrado como manejar a vegetação verde do pomar, com menos agrotóxico no controle de invasoras.

Cozinha Didática
A cenoura será destaque na Cozinha Didática, nas Oficinas de Receitas, realizadas às 10h e às 15h. Quem nunca ouviu dizer que cenoura faz bem para os olhos? Isso está diretamente relacionado a suas propriedades nutricionais. A hortaliça é rica em betacaroteno (β), que é responsável pela coloração alaranjada característica do vegetal e é uma provitamina A (retinol - substância que dá origem à vitamina A dentro de um organismo vivo). Este é um nutriente fundamental para fortalecer a visãonoturna (rodopsina), portanto, não previne nem corrige os problemas de visão mais comuns, como miopia e hipermetropia, apenas fortalece os olhos para se ajustarem à luz fraca ou ao escuro. A ingestão de apenas uma cenoura (100 g) por dia é suficiente para suprir as necessidades diárias de vitamina A e prevenir ou superar a cegueira noturna.Originária da Europa e Ásia, sua cultura remonta a mais de 2.000 anos (Laumonnier).

Cultivada em larga escala nas regiões Sudeste, Nordeste e Sul do Brasil, as cenouras são habitualmente associadas com a cor laranja, mas, de fato, existem outras variedades com muitas outras colorações, entre o branco, amarelo ou roxo, sendo esta última a cor da variedade original. Existem mais de 100 variedades diferentes que contêm características específicas quanto a tamanho e cor, podendo ser tão pequenas quanto 5 cm e tão grandes quanto 90 cm: Baby, Tropical, Redonda, Kuronan, Brasília, etc.

Com este trabalho, a Emater/RS-Ascar enfatiza um dos seus principais eixos de ação desenvolvidos no campo: Segurança e Soberania Alimentar. Em hortas domésticas e na produção em escala, a Emater/RS-Ascar orienta seu público, agricultores na faixa da extrema pobreza, quilombolas, indígenas e agricultores familiares, na produção de alimentos diversificados e saudáveis, como a cenoura.

Pavilhão da Agricultura Familiar
A Emater/RS-Ascar, também participa da organização do Pavilhão da Agricultura Familiar, numa parceria com Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (Fetraf-Sul) e Via Campesina.

Neste ano, há 150 estandes no Pavilhão, 14 a mais em relação ao ano passado, a maioria ocupada por agroindústrias familiares. Todas as agroindústrias participam do Programa Estadual de Agroindústria Familiar – Selo Sabor Gaúcho, coordenado no Estado pela SDR e executado pela Emater/RS-Ascar. Também estão presentes o artesanato rural e flores.

Agenda
Na segunda-feira, dia 10 de março, será aberto oficialmente o Pavilhão da Agricultura Familiar.

E, na quarta-feira, dia 12 de março, ocorre o 5º Seminário Agroindústria Familiar – no Ano Internacional da Agricultura Familiar, às 13h30min, no Auditório Central do parque da Expodireto.

Fonte: Assessoria de Imprensa EMATER

Últimas notícias